Polícia apreende 300 quilos de cocaína no Rio 

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 5 de maio de 2021 as 12:56, por: CdB

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu nesta quarta-feira 300 quilos de cocaína durante uma operação no Arco Metropolitano do Rio de Janeiro (BR-493). Segundo a PRF, essa foi a terceira maior apreensão da droga na história da instituição, no Rio.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu nesta quarta-feira 300 quilos de cocaína durante uma operação no Arco Metropolitano do Rio de Janeiro (BR-493). Segundo a PRF, essa foi a terceira maior apreensão da droga na história da instituição, no Rio de Janeiro.

Polícia apreende 300 quilos de cocaína no Rio de Janeiro

A cocaína foi encontrada em um compartimento especial, dentro de um veículo de carga, durante uma abordagem na altura de Seropédica. Para encontrar a droga, os policiais pediram ajuda da concessionária CCR Nova Dutra para cortar a carroceria do caminhão.

O motorista, cujo nome ainda não foi revelado, foi preso em flagrante e contou que trazia a droga de Belo Horizonte. Ele entregaria a carga em um posto na BR-040, no Rio de Janeiro. Estima-se que o carregamento ilícito vale R$ 12 milhões no mercado ilegal de venda de cocaína.

Milicianos na Baixada Fluminense

A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol) do Rio de Janeiro, por meio da 55ª DP (Queimados), e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público (MPRJ) deflagram, nesta quarta-feira, uma operação para cumprir mandados de busca e apreensão contra milicianos que atuam em um condomínio de Queimados, na Baixada Fluminense.

A ação tem como objetivo apreender equipamentos eletrônicos e obter novas provas para embasar a investigação, que apura o envolvimento da organização criminosa na região. As diligências também visam coibir o crime de furto de energia elétrica.

De acordo com as investigações, a quadrilha tomou o controle e promove atividades ilegais em um condomínio do programa do Governo Federal em parceria com a Prefeitura de Queimados, onde cometem ameaças, extorsões e cobrança de taxas indevidas. Moradores que se negavam a pagar eram assassinados.

Os alvos da operação são dois homens apontados como chefes da organização criminosa. Um deles é síndico de um condomínio, situado na Estrada das Piabas, em Queimados. O outro seria ex-funcionário da empresa que fornece energia elétrica na região. Um terceiro envolvido foi preso preventivamente na “Operação Hunter”, deflagrada em julho de 2019 pelo Gaeco, Delegacia de Homicídios da Baixada (DHBF) e pela Subsecretaria de Inteligência da Polícia Militar.

O grupo é investigado pelos crimes de formação de milícia privada, furto de energia elétrica, extorsão a moradores e coações sofridas por motoristas de aplicativos e vendedores de gás, que são proibidos de entrar no condomínio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code