Polícia britânica se prepara para tumultos pós-Brexit 

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 4 de abril de 2019 as 11:40, por: CdB

A corporação também pediu, em comunicado, comedimento das pessoas no debate político e público sobre o Brexit, que muitas vezes tem se tornado raivoso.

Por Redação, com Reuters – de Londres

A polícia britânica testou planos nos últimos meses para capacitar 10 mil agentes a reagir dentro de 24 horas a qualquer tumulto ou aumento nos crimes de ódio se o Reino Unido se separar da União Europeia sem um acordo.

Agentes da polícia britânica em Downing Street, em Londres

A corporação também pediu, em comunicado, comedimento das pessoas no debate político e público sobre o Brexit, que muitas vezes tem se tornado raivoso.

– Existe uma responsabilidade de todos nós de pensarmos cuidadosamente e ser comedidos na maneira como nos comunicamos, para não inflamar tensões – disse Martin Hewitt, chefe do Conselho dos Chefes da Polícia Nacional.

O chefe de polícia, Charlie Hall, acrescentou: “Eventos nacionais e globais têm o potencial de desencadear aumentos de curto prazo nos crimes de ódio, e vimos isso no pico significativo que se seguiu ao referendo da UE de 2016”.

Três anos depois de os britânicos votarem a favor do Brexit em um referendo, e faltando só uma semana para a nova data de uma saída já adiada, o governo e o Parlamento ainda estão profundamente divididos sobre como, quando ou mesmo se o país deixará o bloco.

Uma saída em 12 de abril sem um acordo de transição para amenizar o choque no comércio, nos negócios ou nos consumidores continua sendo uma possibilidade.

Ao mesmo tempo, vários apoiadores do Brexit vêm alertando que o fracasso de uma desfiliação poderia provocar tumultos civis. Muitos parlamentares receberam ameaças de extremistas ou estão sob proteção da polícia.

– No momento, não temos informações que indiquem que haverá aumentos nos crimes ou desordem… mas estamos bem preparados para reagir a qualquer problema que possa surgir – disse Hall.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *