Polícia faz busca em casa e gabinete de primeira-dama do Piauí

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 27 de julho de 2020 as 13:57, por: CdB

A Polícia Federal fez buscas nesta segunda-feira na casa do governador do Piauí, Wellington Dias (PT), e da sua esposa, a deputada federal Rejane Dias (PT) e no gabinete da parlamentar na Câmara dos Deputados, dentro da operação Topique, que investiga desvios na Secretaria de Educação do Estado.

Por Redação, com Reuters – de Brasília

A Polícia Federal fez buscas nesta segunda-feira na casa do governador do Piauí, Wellington Dias (PT), e da sua esposa, a deputada federal Rejane Dias (PT) e no gabinete da parlamentar na Câmara dos Deputados, dentro da operação Topique, que investiga desvios na Secretaria de Educação do Estado.

Vista aérea do Congresso Nacional
Vista aérea do Congresso Nacional

De acordo com a Polícia Federal, a operação desta segunda dá sequência a ações de 2018 e 2019 que investigam um suposto esquema de fraude em licitações para transporte escolar. O Ministério Público do Piauí afirma que a cúpula da Secretaria de Educação se associou a empresários para desviar R$ 50 milhões de recursos da educação.

“Mesmo após duas fases ostensivas da operação, o governo do Estado do Piauí mantém contratos ativos com as empresas participantes do esquema criminoso que totalizam o valor de R$ 96,6 milhões entre 2019 e 2020”, diz a nota da PF.

Rejane Dias foi secretária de Educação no Piauí entre 2015 e 2018. Em nota, a deputada diz que aguarda com tranquilidade os desdobramentos da operação e que “sempre se portou em observância às leis, tendo em vista a melhoria dos índices educacionais e a ampliação do acesso à educação dos piauienses.”

Buscas por causa de sua esposa

Já o governador, que não é alvo direto da operação, mas teve a residência como alvo das buscas por causa de sua esposa, disse que a operação foi feita em uma residência onde mora seu filho, médico, e classificou a ação como “mais um espetáculo”.

De acordo com Wellington, a investigação trata de um fato de 2013, quando ele não era governador e sua esposa não era secretária de educação.

“O governador ressalta que o Estado é vítima e o maior interessado na resolução desta questão e irá trabalhar para que tudo seja plenamente esclarecido”, diz a nota.

O PT, partido do governador e da deputada, classificou a ação de perseguição política.

“A invasão das residências do governador e de seus familiares pela Polícia Federal, além da tentativa ilegal de invadir o gabinete da deputada Rejane, é uma notória operação midiática de perseguição e destruição de imagem pública. Os abusos foram cometidos a partir de uma operação que se prolonga há quase três anos e deveria investigar fatos anteriores ao governo Wellington Dias. Nem o governador nem a deputada são acusados de nada que justifique minimamente tais abusos”, disse o partido em nota assinada pela presidente, deputada Gleisi Hoffman (PR).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code