Polícia de Chicago mata menino de 13 anos em ‘confronto armado’

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 6 de abril de 2021 as 11:15, por: CdB

 

Um agente da polícia de Chicago, nos Estados Unidos, matou um menino latino de 13 anos, no último dia 29 de março, em uma operação classificada pelas autoridades americanas como “confronto armado”.

Por Redação, com ANSA – de Chicago

Um agente da polícia de Chicago, nos Estados Unidos, matou um menino latino de 13 anos, no último dia 29 de março, em uma operação classificada pelas autoridades americanas como “confronto armado”.

O adolescente, cuja identidade foi confirmada na segunda-feira pelo legista do condado de Cook, é Adam Toledo e foi morto por um policial após uma perseguição em um beco, no bairro de Little Village.

“A polícia disse que os agentes foram chamados por volta das 2h30 para um endereço em Little Village, um bairro predominantemente de latinos no oeste de Chicago, respondendo a relatos de tiros”, afirmou a imprensa, citando um comunicado oficial.

Segundo a nota, Toledo estaria armado e acompanhado por um outro jovem, de 21 anos, quando os agentes chegaram ao local. Os dois tentaram fugir, o que teria motivado o disparo. O adolescente foi atingido no peito e morreu no local.

Arma de fogo

Já o outro rapaz foi detido, e uma arma de fogo foi apreendida pela polícia. O caso provocou revolta na comunidade latina nos Estados Unidos, que tem clamado por justiça. A polêmica fez a polícia local anunciar que divulgará em breve um vídeo do tiroteio.

Durante entrevista coletiva na semana passada, a mãe da vítima, Elizabeth Toledo, afirmou que quer saber a verdade sobre o motivo pelo qual a polícia atirou em seu filho.

– Eu só quero saber o que realmente aconteceu com meu bebê”, disse Elizabeth à emissora CNN. “Os policiais não deveriam, eles tinham muitas opções, mas não matá-lo. Eles poderiam ter atirado em sua perna, braço, no ar. Eu não sei. Mas matar meu bebê? – questionou.

A prefeita de Chicago, Lori Lightfoot, por sua vez, exigiu que as imagens das câmeras dos agentes sejam divulgadas o mais rapidamente possível.