Polícia Civil prende líder do tráfico do Morro da Providência

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021 as 14:15, por: CdB

Policiais civis prenderam, cinco traficantes do Morro da Providência, no Centro do Rio. Entre os presos, está David Edson Fernandes Lins, vulgo “Duas Bocas” ou “BC”, líder da facção criminosa na localidade.

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro

Policiais civis da 24ª DP (Piedade) prenderam, na quarta, cinco traficantes do Morro da Providência, no Centro do Rio. Entre os presos, está David Edson Fernandes Lins, vulgo “Duas Bocas” ou “BC”, líder da facção criminosa na localidade. Eles foram encaminhados para a delegacia da Piedade e foram transferidos nesta quinta-feira, às 11h, para a Cidade da Polícia.

Polícia Civil prende líder do tráfico do Morro da Providência e outros quatro criminosos

A ação ocorreu no Viaduto 31 de Março, no Centro, e contou com o apoio da Polícia Militar. Segundo apurado, eles estavam saindo do Morro da Coroa, também na região Central da cidade. No momento da abordagem, os criminosos estavam em um comboio de quatro veículos.

Houve intensa troca de tiros e dois destes carros conseguiram escapar. Já os demais veículos foram dominados pelos agentes. Com os traficantes, foram apreendidos quatro pistolas, 19 carregadores de pistola, quatro granadas, quatro rádios transmissores, dois cintos táticos e farta quantidade de munição de diferentes calibres.

“BC” é apontado como responsável por liderar pessoalmente ataques a Unidades de Polícia Pacificadora (UPP). Os demais presos foram Pablo dos Santos, o “Rouba Cena”, Jefferson Galdino Serazo, o “Cebola”, Thales Barbosa de Souza da Silva, o “Gatonalha”, e Reinaldo José dos Santos Dias, todos gerentes de carga de entorpecentes da facção criminosa.

Estelionatárias

Policiais civis da 112ª DP (Carmo) prenderam, na quarta-feira, três mulheres que vendiam, por meio da Internet, roupas infantis que nunca chegavam aos consumidores. Segundo as investigações, o golpe era aplicado em Estados como Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina. Em nove meses, a estimativa é que as acusadas tenham lucrado R$ 58 mil com os crimes.

De acordo com os agentes, duas das estelionatárias utilizavam perfis falsos de uma rede social para venda de roupas infantis. Uma terceira mulher alugava sua conta para as golpistas. Os compradores que se interessavam pelo anúncio eram orientados a fazer o depósito inicial na conta de uma das criminosas como sinal e, também, para garantir que a mercadoria seria entregue. No entanto, o produto nunca chegava aos clientes. Os depósitos das vítimas variaram de R$ 100 a R$ 600 e eram feitos em um banco na cidade paulista de Votuporanga.

– Após o registro de uma vítima, os policiais chegaram até a casa das envolvidas, no município de Carmo. No local foram encontrados comprovantes que mostravam a participação das mulheres no crime, como extratos bancários, celulares, dinheiro, cartões de banco de sete contas diferentes e documentação da conta usada para aplicar os golpes, que estava em nome de uma terceira pessoa. Elas usavam diversos saques e depósitos em contas diversas para tentar mascarar a origem ilícita do dinheiro – disse o titular da 112ª DP, delegado Heberth Tavares Cardoso.

As mulheres responderão pelos crimes de lavagem de dinheiro, estelionato e organização criminosa. As investigações continuarão para identificar eventuais comparsas do trio e novos fatos criminosos.

Acusado de homicídio

Policiais civis da 118ª DP (Araruama) prenderam, na quarta-feira, um acusado de homicídio, que estava foragido há 15 anos. Em 2005, após descobrir uma suposta traição de sua companheira à época, ele matou o homem com quem ela estaria se relacionando. O crime aconteceu no município de Arcoverde, no Estado de Pernambuco.

O acusado foi preso pela equipe da 118ª DP no bairro Fonte Limpa, em Araruama, na Região dos Lagos, após trabalho de inteligência da unidade policial. Segundo as investigações, após o crime, ele fugiu e se escondeu em uma comunidade da capital do Rio de Janeiro. Em seguida, foi para Araruama, onde estava no momento de sua prisão.

Após a ação policial ele foi encaminhado para o sistema prisional e está à disposição da Justiça.