Polícia combate irregularidades na contratação de serviços de saúde no Paraná

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 16 de janeiro de 2018 as 11:51, por: CdB

Segundo nota da PF, fazem parte do grupo criminoso um servidor da Fundação Municipal de Saúde e um vereador de Foz do Iguaçu

Por Redação, com ABr – de Brasília:

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira a Operação Renitência, oitava fase da Pecúlio, para apurar irregularidades na contratação de serviços públicos de saúde em Foz do Iguaçu (PR). Segundo nota da PF, fazem parte do grupo criminoso um servidor da Fundação Municipal de Saúde e um vereador de Foz do Iguaçu, apontado como líder da organização.

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira a Operação Renitência, oitava fase da Pecúlio

As investigações, feitas em conjunto com o Ministério Público Federal; mostram que laudos de exames de diagnóstico; em especial produzidos no Hospital Municipal Padre Germano Lauck, foram elaborados por uma pessoa sem a habilitação necessária; causando risco à saúde de pacientes.

Os policiais cumpriram seis mandados de prisão (três preventivas; e três temporárias) e 12 mandados de busca e apreensão. Todos expedidos pela 3ª Vara Federal de Foz do Iguaçu.

O nome da operação faz referência à obstinação de agentes públicos; que usam o cargo como um canal para cometer atos ilícitos e; que se mantêm resistentes às ações de repressão articuladas em fases anteriores da Operação Pecúlio.

Grupo armado

A Polícia Civil do Paraná investigou o ataque ao ônibus que transportava cerca de 50 presos do regime semiaberto, que iam da Colônia Penal Agrícola do Paraná, em Piraquara, para uma empresa de Quatro Barras, ambos municípios da região metropolitana de Curitiba.

De acordo com informação da Polícia Rodoviária Federal (PRF); por volta de 22 horas de quinta-feira, o ônibus foi abordado por pelo menos 12 homens armados em três carros; próximo ao quilômetro 73 da BR-116, em uma alça de acesso entre o Contorno Leste e a Estrada da Graciosa.

Eles obrigaram o motorista a parar o veículo. Em seguida, embarcaram no ônibus em busca de um determinado preso, que não foi localizado.

Como o banheiro estava trancado, os homens fizeram vários disparos através da porta do compartimento, achando que ele estava escondido no local. Como não havia ninguém; o grupo desembarcou do ônibus e deixou o local.

Dois carros foram abandonados, ambos com placas clonadas e alerta de roubo: um renault sandero e um chevrolet onix, que foi incendiado. Os homens armados utilizaram ainda uma ford ecosport na ação; que até o momento não foi localizada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *