Polícia da Bélgica detém casal que pretendia atentar na França

Arquivado em: Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 2 de julho de 2018 as 15:13, por: CdB

O MP confirmou que tratava-se de um comício ao qual assistiram cerca de 25 mil pessoas na feira de Villepinte organizado pela Mujahidin do Povo Iraniano, organização fundada em 1965 e proibida pelo Governo de Teerã em 1991

Por Redação, com EFE – de Bruxelas:

As autoridades da Bélgica frustaram um plano de atentado terrorista, que tinha como alvo um comício da oposição iraniana na França, em uma operação que terminou com a detenção de dois cidadãos de nacionalidade belga e origem iraniana em Bruxelas, informou nesta segunda-feira o Ministério Público em comunicado.

As autoridades da Bélgica frustaram um plano de atentado terrorista

Um juiz de instrução especializado em terrorismo da cidade de Antuérpia (norte) determinou detenção para Amir S., nascido em 1980, e sua esposa Nasimeh N., em 1984, enquanto o Ministério Público (MP) abriu uma investigação de terrorismo, explicou.

Ambos foram acusados de “tentativa de assassinato terrorista” e de “preparação de uma infração terrorista”.

As detenções ocorreram no sábado no distrito bruxelense de Woluwe-Saint-Pierre, quando o casal suspeito estava em seu veículo, no qual as forças especiais acharam material para fabricar bombas, 500 gramas de explosivo TATP e um detonador.

Os artífices explodiram o carro de maneira controlada, especificou o MP.

O casal, que segundo o jornal Le Soir residia em Wilrijk (norte da Bélgica) tinha como alvo um comício de um partido da oposição iraniano nos arredores de Paris.

Comício

O MP confirmou que tratava-se de um comício ao qual assistiram cerca de 25 mil pessoas na feira de Villepinte organizado pela Mujahidin do Povo Iraniano, organização fundada em 1965 e proibida pelo Governo de Teerã em 1991.

Em paralelo, a Polícia da Antuérpia fez cinco revistas a pedido do juiz de instrução nas localidades Wilrijk, Boom, Uccle, Mons e Leuze-en-Hainaut.

Ao mesmo tempo, um suposto cúmplice, Merhad A., nascido em 1963, foi detido na França enquanto outras duas pessoas foram postas em liberdade após prestar depoimento e outro contato do casal, Assadollah A., nascido em 1971, e de nacionalidade iraniana, foi detido igualmente na Alemanha.

O MP belga precisou que, segundo a informação da qual dispõe, “em nenhum momento houve alguma ameaça direta para a Bélgica”.