Polícia deflagra ação contra fraude em benefícios previdenciários no RN

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Polícia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 8 de dezembro de 2020 as 12:47, por: CdB

A Policia Federal deflagrou nesta terça-feira a segunda fase da Operação Cubo de Rubik, com o objetivo de desarticular um grupo que fazia uso de documentos falsos para obter, de forma fraudulenta, benefícios previdenciários no Rio Grande do Norte.  

Por Redação, com ABr – de Brasília/São Paulo

A Policia Federal deflagrou nesta terça-feira a segunda fase da Operação Cubo de Rubik, com o objetivo de desarticular um grupo que fazia uso de documentos falsos para obter, de forma fraudulenta, benefícios previdenciários no Rio Grande do Norte.

PF deflagra ação contra fraude em benefícios previdenciários no RN
PF deflagra ação contra fraude em benefícios previdenciários no RN

Cerca de 12 policiais federais cumprem três mandados de busca e apreensão na cidade de Areia Branca (RN), localizada na região da Costa Branca, com a ajuda da Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista e de integrantes da força-tarefa previdenciária e trabalhista no RN.

A primeira fase da operação ocorreu em outubro de 2019, quando foi identificado o uso de registros civis falsos “com intuito de criar dependentes fictícios, como por exemplo, filho menor de idade, e requerer benefício previdenciário da espécie pensão por morte”, informou a PF.

Até o momento, o prejuízo estimado, causado por meio de fraudes com benefícios, é de aproximadamente R$ 200 mil aos cofres públicos. Se for feita uma projeção sobre os valores que seriam pagos até que os dependentes usados na fraude atinjam a maioridade, o prejuízo ultrapassa R$ 1 milhão.

Fraudes com cartões da Caixa

A Polícia Federal cumpriu nesta terça-feira três mandados de busca e apreensão para apreender objetos que auxiliem nas investigações policiais sobre as atividades de uma quadrilha que frauda cartões de créditos de diversas bandeiras, operados pela Caixa Econômica Federal.

Segundo informações da Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, as investigações da Operação Pegada Digital apuraram que o prejuízo para a Caixa já ultrapassa os R$ 100 mil.

“Os mandados foram cumpridos na cidade de São Paulo e tem como alvos pessoas que foram descobertas através dos rastros digitais deixados durante as fraudes”, disse a Polícia Federal.

A investigação é resultado de uma força-tarefa coordenada pela Polícia Federal com a participação de inúmeras instituições bancárias ligadas à Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).

Os objetos apreendidos foram encaminhados para Polícia Federal em São Paulo para serem analisados para identificar os outros integrantes do grupo.