Polícia Federal investiga fraudes em licitações no Tocantins

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 10 de março de 2020 as 13:03, por: CdB

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira as operações Brutus e Hastati, para combater organizações criminosas envolvidas em um esquema de corrupção no Tocantins.

Por Redação, com ABr – de Brasília

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira as operações Brutus e Hastati, para combater organizações criminosas envolvidas em um esquema de corrupção no Tocantins. Segundo a PF, elas teriam movimentado dezenas de milhões de reais através de um grupo empresarial do ramo gráfico. A estimativa é de prejuízos acima de R$ 10 milhões aos cofres da União.

Operações da PF investigam fraudes em licitações no Tocantins
Operações da PF investigam fraudes em licitações no Tocantins

As investigações apuraram que os esquemas criminosos eram ligados a “pessoas influentes no meio político do Tocantins, com poderes suficientes para aparelhar o estado, desviar recursos públicos e agir nas mais diversas frentes para garantir que as ações ilícitas se mantivessem encobertas”.

De acordo com a PF, os grupos criminosos investigados mantinham um sofisticado esquema para a prática constante e reiterada de atos de corrupção, fraudes em licitações, desvio de recursos públicos, lavagem de capitais e atos de embaraço às investigações, sempre com o objetivo de acumulação criminosa de riquezas em detrimento aos cofres públicos e manutenção dos esquemas ilícitos.

Desde as primeiras horas desta manhã, aproximadamente 30 policiais federais cumprem seis mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 4ª Vara Federal no Tocantins, em endereços dos investigados nas cidades de Palmas e Natividade, no Tocantins.

Nomes das operações

O nome Brutus, filho adotivo do imperador romano Júlio César, faz referência à traição que ele cometeu contra o pai, ficando conhecido com um dos mais famosos traidores da história. Hastati, por sua vez, remete à antiga linha de frente do exército romano, em virtude da audácia das ações e postura de enfrentamento da organização criminosa.