Polícia Federal cumpre mandados de busca em residências de Witzel

Arquivado em: Manchete, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 26 de maio de 2020 as 10:27, por: CdB

A Polícia Federal cumpriu nesta terça-feira mandados de busca e apreensão nas residências oficial e pessoal do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), como parte de uma investigação que apura supostas irregularidades na área de saúde.

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro

A Polícia Federal cumpriu nesta terça-feira mandados de busca e apreensão nas residências oficial e pessoal do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), como parte de uma investigação que apura supostas irregularidades na área de saúde e na instalação de hospitais de campanha para combater a pandemia de covid-19, disseram duas fontes com conhecimento do assunto à agências inglesa de notícias Reuters.

Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel
Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel

As diligências acontecem no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador, e no bairro do Grajaú, onde Witzel tem residência pessoal.

Os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), onde os governadores têm prerrogativa de foro. Uma equipe da Polícia Federal de Brasília participa da operação.

Alvos de uma recente operação

Witzel teria sido citado por alvos de uma recente operação da Lava Jato que mirou pessoas que teriam obtido vantagens em contratos formados pela Secretaria de Saúde do Estado. Os benefícios ocorreriam desde a época do ex-governador Sérgio Cabral (MDB).

Não foi possível contactar o governador imediatamente nesta manhã.

Bolsonaro parabeniza PF

O presidente Jair Bolsonaro deu os parabéns à Polícia Federal pela operação deflagrada na manhã desta terça-feira para investigar supostas irregularidades na área de saúde, que teve como alvo o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), seu rival político.

– Parabéns à Polícia Federal. Fiquei sabendo agora pela mídia. Parabéns à Polícia Federal, tá ok? – disse o presidente, quando questionado sobre a operação, ao sair do Palácio da Alvorada.

A operação Placebo, deflagrada na manhã desta terça, realizou buscas na residência oficial do governador, o Palácio Laranjeiras, e no bairro do Grajaú, onde Witzel tem residência pessoal, em busca de documentos sobre superfaturamento de compras para combate ao novo coronavírus.

Em nota, Witzel negou envolvimento em qualquer irregularidade e atribuiu a operação desta terça a uma interferência do presidente da República, após o ex-ministro da Justiça Sergio Moro acusar Bolsonaro de buscar interferir politicamente na PF.

Há duas semanas, ao comentar as acusações de que teria tentado influenciar a mudança na Superintendência da PF no Rio de Janeiro, Bolsonaro afirmou que o Estado é um dos “mais complicados” do país e que a PF teria lá um “terreno fértil” para trabalhar.

Na segunda-feira, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), uma das mais próximas aliadas de Bolsonaro, disse em entrevista à Rádio Gaúcha que já havia alguns governadores sendo investigados pela Polícia Federal por supostas irregularidades em contratações no âmbito do combate à pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *