Polícia da França proíbe manifestação de Coletes Amarelos marcada para sábado

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020 as 15:04, por: CdB

Em um comunicado, a polícia disse que o protesto marcado para sábado pode criar problemas nas ruas, já que os manifestantes pretendem marchar perto de instituições públicas e pontos turísticos.

Por Redação, com Reuters – de Paris/Barcelona

A polícia francesa proibiu nesta sexta-feira uma manifestação antigoverno dos Coletes Amarelos planejada para este final de semana no centro de Paris.

Manifestantes com coletes amarelos protestam em Paris
Manifestantes com coletes amarelos protestam em Paris

Em um comunicado, a polícia disse que o protesto marcado para sábado pode criar problemas nas ruas, já que os manifestantes pretendem marchar perto de instituições públicas e pontos turísticos e de compras.

O movimento

Desde que o movimento dos Coletes Amarelos começou, em novembro de 2018, as manifestações acabaram em violência e choques com o batalhão de choque muitas vezes.

Embora a escala dos protestos tenha diminuído desde o auge das manifestações em dezembro de 2018, os manifestantes continuaram a se reunir aos sábados para protestar contra o governo do presidente Emmanuel Macron, cujas políticas dizem favorecer os membros mais ricos da sociedade.

Catalunha

O líder regional da Catalunha Quim Torra disse à agência inglesa de notícias Reuters nesta sexta-feira que quer combinar uma data para um referendo de independência durante as conversas com o governo espanhol, argumentando que o caminho da região rumo à secessão é “irreversível”.

A Catalunha é um tema predominante da política espanhola desde que declarou independência brevemente em outubro de 2017, na esteira de um referendo que os tribunais consideraram ilegal, o que desencadeou a maior crise política do país em décadas.

Na quinta-feira, Torra se encontrou com o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, que rejeita qualquer manobra separatista, mas concordou em conversar com líderes catalães para debater o futuro da região rica do nordeste do país.

– Seremos independentes – disse Torra em uma entrevista no palácio regional de governo do século 15 em Barcelona. Ele não quis falar em datas, mas disse acreditar que o caminho para a independência da Catalunha é “absolutamente irreversível”.

Madri tem descartado qualquer referendo de independência ou anistia para líderes separatistas catalães que foram condenados à prisão ou deixaram o país após a declaração de independência.

Mas Torra disse que quer discutir uma data para um referendo de independência e obter resultados sobre os dois assuntos em uma reunião no final deste mês com o governo espanhol, que Sánchez e ele presidiriam.

– Vamos conversar sobre como resolver as raízes do conflito… isso significa deixar o povo catalão decidir seu próprio futuro de forma democrática e pacífica – afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *