Polícia interroga suspeitos de estarem ligados ao tráfico de drogas

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quarta-feira, 18 de junho de 2003 as 15:04, por: CdB

Seis colombianos que viajavam clandestinamente no navio Global Ace do Panamá, que se jogaram no mar quando a embarcação atracou no Porto do Itaqui, em São Luís, continuam sendo interrogados na Superintendência da Polícia Federal. Os colombianos, que pensavam que estivessem chegando a Miami, nos Estados Unidos, embarcaram no Porto de Barranquilha, na Colômbia, no último dia 8, e passaram clandestinamente oito dias na casa de engrenagem do leme, na polpa da embarcação.

Segundo informou nesta quarta-feira o delegado Sérgio Camursa, da Delegacia de Migração, os colombianos continuam sendo interrogados por causa da possibilidade de estarem ligados com o tráfico internacional de drogas. Eles já receberam vacinas contra a febre amarela e aguardam a repatriação que deverá acontecer dentro de 15 dias.

O delegado Camursa disse que todas as despesas de manutenção até o repatriamento e transbordo para a Colômbia serão custeadas pelos responsáveis pela contratação do navio. Os colombianos detidos são Vairo Martinez Musquera, Wilson Vesga Leon, Carlos Garcez Hurtado, Wilmer Valencia, Mina Geison Henrique e Fieidey Reina.