Polícia investiga origem de tiros que mataram moradores de comunidade no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 19 de fevereiro de 2019 as 11:40, por: CdB

Os moradores relatam que os tiros foram disparados por snipers (atiradores de elite), posicionados na Torre da Cidade da Polícia unidade que concentra diversas delegacias e que fica a cerca de 400 metros do local onde os homens foram baleados.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A Delegacia de Homicídios da Capital fez perícia complementar em Manguinhos, na Zona Norte da cidade, onde, no final de janeiro, duas pessoas morreram baleadas e uma terceira ficou ferida sem que houvesse confrontos. Os moradores relatam que os tiros foram disparados por snipers (atiradores de elite), posicionados na Torre da Cidade da Polícia unidade que concentra diversas delegacias e que fica a cerca de 400 metros do local onde os homens foram baleados.

Polícia investiga origem de tiros que mataram moradores de Manguinhos

Rômulo Oliveira da Silva, de 37 anos, trabalhava como porteiro da Fundação Oswaldo Cruz e foi morto no dia 29 de janeiro. Segundo familiares, ele levava a moto ao borracheiro quando foi atingido. Quatro dias antes, Carlos Eduardo dos Santos, de 27 anos, também morreu após ser baleado na mesma localidade. Um terceiro homem foi atingido no mesmo período, mas resistiu e auxiliou a polícia na perícia desta segunda-feira.

Segundo nota enviada pela assessoria de imprensa da Polícia Civil, as investigações estão em andamento, e a Delegacia de Homicídios, responsável pelo caso, aguarda o resultado dos laudos periciais.

A polícia não informou se investiga a possibilidade de os tiros terem sido dados por snipers. As defensorias Públicas da União e do Estado e o Ministério Público Estadual acompanharam a perícia.

Segundo a organização não governamental Human Rights Watch, é preciso haver uma investigação independente dos assassinatos. A ONG acredita que, como pode haver envolvimento de policiais civis, as investigações deveriam ser feitas pelo Ministério Público e pela Polícia Federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *