Polícia italiana reforça segurança em alvos dos EUA

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 10 de setembro de 2021 as 10:57, por: CdB

 

Em circular enviada nesta sexta-feira, o chefe da Polícia de Estado e do Departamento de Segurança Pública, Lamberto Giannini, pede o aumento dos níveis de proteção em “objetivos diplomático-consulares, turísticos, culturais e comerciais dos Estados Unidos”.

Por Redação, com ANSA – de Washington

A Polícia de Estado da Itália recomendou o reforço da segurança em endereços ligados aos Estados Unidos por causa do aniversário de 20 anos dos atentados de 11 de setembro.

Atentados de 11 de setembro em Nova York e Washington deixaram mais de 3 mil mortos

Em circular enviada nesta sexta-feira, o chefe da Polícia de Estado e do Departamento de Segurança Pública, Lamberto Giannini, pede o aumento dos níveis de proteção em “objetivos diplomático-consulares, turísticos, culturais e comerciais dos Estados Unidos”.

O documento ainda faz referência à crise no Afeganistão, que voltou a ser governado pelo Talebã 20 anos depois de o grupo ter sido derrubado pela invasão americana, e aponta o “crescimento dos conflitos entre várias organizações terroristas” que querem confirmar sua liderança na “galáxia jihadista”.

“A data de 11 de setembro assume particular relevância à luz do atual cenário internacional”, acrescenta a circular do chefe da Polícia de Estado.

Relembre

Os ataques de 11 de setembro de 2001 foram coordenados pelo grupo terrorista Al-Qaeda, que jogou dois aviões contra as Torres Gêmeas, em Nova York, e um terceiro contra o Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA, em Washington.

Uma quarta aeronave caiu em um campo aberto na Pensilvânia após resistência de passageiros e tripulantes contra os sequestradores. O saldo final dos atentados foi de mais de 3 mil mortos, o que acabou motivando a invasão do Afeganistão pelos EUA.

O país era governado pelo Talebã, a quem a Casa Branca acusava de dar proteção a Osama bin Laden, mentor dos ataques. O líder da Al-Qaeda seria morto em maio de 2011, no Paquistão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code