Polícia cumpre mandados de prisão contra suspeitos de tráfico de drogas no Rio

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 4 de dezembro de 2018 as 13:46, por: CdB

Os alvos da operação são suspeitos de crimes como extorsão, corrupção de menores, receptação, tentativa de homicídio e lavagem de dinheiro, além de tráfico de drogas.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

Policiais civis cumpriram nesta terça-feira 36 mandados de prisão contra suspeitos de envolvimento com a venda de drogas em Magé, na Baixada Fluminense. De acordo com a Polícia Civil, o grupo controla o comércio de entorpecentes na localidade da Pinguela, no bairro da Lagoa, em Magé.

Polícia cumpre mandados de prisão contra suspeitos de tráfico

Os alvos da operação são suspeitos de crimes como extorsão, corrupção de menores, receptação, tentativa de homicídio e lavagem de dinheiro, além de tráfico de drogas.

Os mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Magé, Petrópolis, Teresópolis, Niterói, Maricá e outras cidades, segundo a Polícia Civil.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a quadrilha se divide em três núcleos, um operacional, um logístico (que fornecia condições materiais e apoio à organização criminoso) e um financeiro (que fornecia contas bancárias para a lavagem do dinheiro). A ação conta com o apoio do Ministério Público do Rio.

Tráfico de armas

Cerca de 11 pessoas foram presas em operação conjunta realizada na segunda-feira pela Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) da Polícia Civil em conjunto com agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) com a finalidade de desarticular uma quadrilha responsável pelo tráfico de armas e munição vindas do Paraguai e transportadas de Mato Grosso do Sul para o Rio de Janeiro.

Na ação, foram cumpridos 11 de um total de 20 mandados de prisão expedidos pela Justiça. Foram cumpridos também 20 mandados de busca e apreensão, sendo 14 no Rio de Janeiro e seis em Mato Grosso do Sul.

De acordo com as investigações que duraram um ano, as armas e munições vinham do Paraguai e entravam no país na fronteira com Mato Grosso do Sul. Somente em 2018, 35 mil munições de fuzis e pistolas foram apreendidas em quatro operações nas rodovias federais. O arsenal era distribuído para o tráfico de drogas e também por grupos de milicianos que dominam algumas regiões do Rio, principalmente na zona oeste do Rio.

Na ação, foi preso Roger dos Santos Macedo, acusado pela polícia de ser um dos líderes da quadrilha. Macedo e mais três integrantes do grupo serviram na Brigada de Infantaria Paraquedista do Rio. Quando deram baixa do Exército, formaram um grupo de milicianos, responsável pela compra de armas e munições.

O delegado titular da Desarme, Fabrício de Oliveira, disse que, com as apreensões feitas hoje, as investigações vão evoluir para prender outros integrantes do crime organizado. “O inquérito policial identificou e indiciou cerca de 20 pessoas integrantes de uma grande organização criminosa que atua em diversos estados da Federação e foi responsável pelo envio de milhares de munições e centenas de armas de fogo de Mato Grosso do Sul para o Rio de Janeiro nos últimos meses”, informou o policial.

A delegacia especializada conseguiu vincular ao grupo criminoso grandes apreensões de armas e munições ocorridas em Itaguaí, Seropédica e Itatiaia, no estado do Rio de Janeiro, e ainda trabalha para reunir elementos que apontem para outros crimes que podem ter sido praticados pela organização criminosa.

Na operação foram empregados 100 agentes da Polícia Civil e 50 da Polícia Rodoviária Federal, no Rio de Janeiro, além de 30 policiais civis e 30 da PRF em Mato Grosso do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *