Polícia prende manifestantes em Nova York e Portland durante protestos pós-eleitorais

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 5 de novembro de 2020 as 11:18, por: CdB

A polícia da cidade norte-americana de Portland declarou rebeliões, prendeu 11 pessoas e confiscou fogos de artifício, martelos e um rifle, e a governadora do Oregon, Kate Brown, acionou a Guarda Nacional em reação aos protestos ocorridos na noite posterior à eleição presidencial dos Estados Unidos.

Por Redação, com Reuters – de Nova York/Portland 

A polícia da cidade norte-americana de Portland declarou rebeliões, prendeu 11 pessoas e confiscou fogos de artifício, martelos e um rifle, e a governadora do Oregon, Kate Brown, acionou a Guarda Nacional em reação aos protestos ocorridos na noite posterior à eleição presidencial dos Estados Unidos.

Policias perto de homem detido durante manifestação em Nova York
Policias perto de homem detido durante manifestação em Nova York

Em Nova York, a polícia disse ter feito cerca de 50 prisões durante protestos que se espalharam pela cidade no final da noite de quarta-feira.

Manifestações, a maior parte pequena e pacífica, foram realizadas por apoiadores do candidato democrata, Joe Biden, em cidades de todo o país. O presidente, Donald Trump, declarou vitória e pediu a suspensão da contagem de votos em Estados que determinarão o resultado da eleição de terça-feira. Biden disse acreditar que estará a caminho da vitória assim que os votos forem contados.

Quatro prisões foram feitas em Denver quando manifestantes entraram em choque com a polícia, disse o Departamento de Polícia de Denver. Também houve prisões durante manifestações em Mineápolis depois que manifestantes interromperam o tráfego, disse a polícia local.

Manifestações

Ativistas também realizaram eventos em Atlanta, Detroit e Oakland exigindo que a contagem de votos prossiga sem impedimentos.

Parceiros locais da Proteja os Resultados, uma coalizão de mais de 165 organizações populares, grupos de direitos e sindicatos trabalhistas, organizaram mais de 100 eventos em todo o país entre quarta-feira e sábado.

Cerca de 100 pessoas se reuniram para um evento ecumênico antes de uma marcha planejada no centro de Detroit, no Estado crucial do Michigan, na manhã de quarta-feira para exigir uma contagem de votos completa e o que classificaram como uma transição de poder pacífica.