Polícia prende suspeito de ter matado cabeleireiro em São Paulo

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, São Paulo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 26 de dezembro de 2018 as 11:34, por: CdB

O autor do crime foi localizado após investigações conduzidas pela Polícia Civil. Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública de São Paulo, ele tem 32 anos e confessou ter esfaqueado Plínio.

Por Redação, com ABr – de  São Paulo

A Polícia Civil prendeu no início da noite de terça-feira o acusado de matar o cabeleireiro Plínio Henrique de Almeida Lima. Ele foi esfaqueado na noite da última sexta na Avenida Paulista quando voltava do Parque Ibirapuera acompanhado do marido e de dois amigos.

Preso suspeito de esfaquear e matar um homossexual na Avenida Paulista

No caminho, o grupo disse ter sido alvo de ofensas homofóbicas do agressor, que estava junto com outro colega. A vítima e os amigos discutiram com o ofensor, que acabou ferindo o cabeleireiro com uma facada. Plínio chegou a ser levado ao Hospital das Clínicas, mas não resistiu aos ferimentos.

O autor do crime foi localizado após investigações conduzidas pela Polícia Civil. Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública de São Paulo, ele tem 32 anos e confessou ter esfaqueado Plínio. Ele teve a prisão temporária decretada pela Justiça e será levado a carceragem do 2º Distrito Policial, do Bom Retiro. O caso foi registrado como homicídio qualificado por motivo fútil.

Homens armados

Homens armados retiraram um preso do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Betim, em Minas Gerais. A fuga ocorreu na tarde do último domingo.

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), um grupo com homens armados disparou contra a unidade por volta das 15h. “Por meio de um buraco na parede de um dos pavilhões um preso teve acesso à área externa da unidade e foi resgatado pelos ocupantes do veículo”, informou a secretaria.

O preso foragido é Jonathan Silva de Oliveira, de 32 anos.

Em outra cidade mineira, Contagem, presos do Complexo Penitenciário Nelson Hungria (CPNH) tentaram fugir na madrugada de segunda-feira. Um dos detentos tentou escalar por meio de uma corda feita com retalhos (tereza), caiu e foi levado para o hospital municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *