Polícia realiza operação na comunidade do Muquiço

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 20 de setembro de 2019 as 14:11, por: CdB

A Polícia Civil realizou nessa sexta-feira, a Operação S3, na comunidade do Muquiço.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

A Secretaria de Estado de Polícia Civil, por meio da 30ª DP (Marechal Hermes) com apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) e de outras unidades da capital, realizou, nessa sexta-feira, a Operação S3, na comunidade do Muquiço, em Guadalupe, para cumprir mandados de prisão contra criminosos que atuam na região. Seis pessoas foram presas.

A ação também apreendeu drogas, roupas camufladas e um artefato explosivo

Um dos mandados cumpridos é o de Nei da Conceição Cruz, conhecido como Nei Facão, apontado como chefe do tráfico de drogas na comunidade, que foi beneficiado com a progressão de regime e deixaria o sistema prisional a qualquer momento. Ele continuará preso.

Os outros cinco presos são: Dener Nunes Dourado, conhecido como Ciclope e apontado como braço direito de Nei Facão, Arnaldo Hermógenes dos Santos Júnior, Jonas Rosa da Silva, o Bracinho, Guilherme Santana, conhecido como da Nike, e Fernanda de Oliveira Silva.

A ação também apreendeu drogas, roupas camufladas e um artefato explosivo. Não houve registros de feridos.

Roubo de carga

Policiais da 48ªDP (Seropédica) prenderam em flagrante, na quinta-feira, em Itaguaí, Anderson Claudiano da Silva, por porte de arma restrita e resistência.

De acordo com informações do delegado José Pedro Costa, Anderson é lider de uma associação criminosa especializada em roubos de carga, com atuação em toda a Baixada.

Ele foi localizado em uma residência no Chaperó, onde tentou fugir ao cerco policial, disparando tiros contra os agentes que reagiram. No confronto o acusado foi ferido e capturado.

Ainda de acordo com o delegado, com Anderson foi apreendida uma pistola calibre 9mm, com a numeração raspada, munições e parte de uma carga de gêneros alimentícios, provenientes de roubos.

Além de ser autuado em flagrante, também foram cumpridos diversos mandados de prisão contra Anderson, pelos crimes de associação criminosa, homicídio, roubos.

O preso foi encaminhado ao sistema prisional, onde ficará a disposição da Justiça.

Acusado de receptação

Policiais da 57ª DP (Nilópolis) prenderam em flagrante, na quinta-feira, Jorge Lopes Vieira, pelo crime de receptação qualificada.

Segundo informações dos agentes, com Jorge foi apreendido um automóvel produto de furto ocorrido na área de Madureira. O autor não ofereceu resistência durante a sua captura.

O preso foi encaminhado para o sistema penitenciário onde ficará à disposição da Justiça.

Número de homicídios

A taxa de homicídios caiu 21,5% no Estado do Rio, entre os meses de janeiro e agosto deste ano, comparado com igual período do ano passado, mas as mortes em confrontos com a polícia registraram alta, de 16,2%, no mesmo período. Os dados fazem parte do relatório mensal do Instituto de Segurança Pública (ISP) e foram divulgados na quinta-feira.

Segundo os dados do instituto, pertencente ao governo do Estado, foram 2.717 homicídios nos oito primeiros meses deste ano, contra 3.461 de janeiro a agosto de 2018. Já as mortes em confrontos com a polícia tiveram alta. Nos oito primeiros meses de 2018, foram 1.075 casos, que se elevaram para 1.249 casos em igual período deste ano.

A chamada taxa de letalidade violenta, que reúne homicídio doloso, roubo seguido de morte, lesão corporal seguida de morte e morte em confronto com a polícia, registrou queda de 13,3%, de janeiro a agosto de 2019, com 4.074 casos, contra 4.699 casos no mesmo período do ano passado.

O roubo de cargas, que foi um dos focos de combate da intervenção federal na segurança pública do Estado no ano passado, registrou forte queda. Nos oito primeiros meses de 2018 foram 6.440 casos, contra 5.277 casos no mesmo período de 2019, uma redução de 1.163 casos (18,1%).

O roubo de rua, que abrange roubo a pedestre, roubo em coletivo e roubo de aparelho celular, continua sendo um dos crimes que afetam mais diretamente a população, causando prejuízos pessoais e perdas de documentos. Houve uma ligeira queda, de 3,5% no total de casos, caindo de 88.596, de janeiro a agosto de 2018, para 85.513, no mesmo período deste ano. Só no mês de agosto de 2019, foram 9.912 casos, uma média de 319 casos por dia ou, ainda, 13,3 roubos de rua por hora.

Os dados completos do ISP, divididos por modalidades e com gráficos históricos, podem ser acessados na página do instituto na Internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *