Polícia realiza operação contra suspeito de fraudar Auxílio Emergencial

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Polícia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 27 de outubro de 2020 as 12:11, por: CdB

Um homem, investigado por fraudes na abertura de contas na Caixa, para receber o Auxílio Emergencial, é alvo de uma operação da Polícia Federal (PF) a fim de cumprir um mandado judicial de busca e apreensão. 

Por Redação, com ABr – de Brasília

Um homem, investigado por fraudes na abertura de contas na Caixa, para receber o Auxílio Emergencial, é alvo de uma operação da Polícia Federal (PF) a fim de cumprir um mandado judicial de busca e apreensão.

PF realiza operação contra suspeito de fraudar Auxílio Emergencial
PF realiza operação contra suspeito de fraudar Auxílio Emergencial

Nomes de personalidades

A ordem judicial foi expedida pela Justiça Federal do Ceará e cumprida em Fortaleza, no endereço do suspeito, acusado também de usar nomes de personalidades na abertura das contas fraudulentas. Foram apreendidos documentos e mídias que serão submetidos à perícia técnico-científica.

“O investigado e quaisquer outros possíveis partícipes das fraudes identificadas na investigação poderão responder pelos crimes de estelionato majorado, falsificação de documento público, uso de documento falso e organização criminosa, na medida de suas responsabilidades”, informou a PF.

Garimpo ilegal em Pernambuco

Uma organização criminosa, que atuava com garimpo ilegal no sertão pernambucano, está sendo combatida, desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira, pela Polícia Federal. Os policiais cumprem dez mandados de prisão e 13 de busca de apreensão.

As ações da Operação Frígia estão ocorrendo em endereços dos suspeitos localizados nos municípios de Serrita, São José do Belmonte, Igarassu, em Pernambuco; e Juazeiro do Norte e Jardim, no Ceará. Entre os investigados estão servidores públicos, financiadores, refinadores de minérios e receptadores.

Segundo a PF, a atividade do grupo criminoso consistia na extração de minérios em terrenos públicos e particulares, localizados na zona rural de Verdejante, com o consequente beneficiamento, que era realizado no município de Serrita.

“Os valores oriundos da venda eram colocados em circulação, com aparência de legalidade, por meio da aquisição de veículos e de outras condutas, atos consistentes em lavagem de dinheiro. Também se constatou que alguns pagamentos pelos serviços realizados em favor do garimpo eram feitos com verbas da prefeitura de Serrita”, diz a PF.

De acordo com a PF, o nome da operação, Frígia, faz menção à terra do rei Midas, da mitologia grega. Tudo o que ele tocava virava ouro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code