Polícia do Rio investiga empresa por fraude em oferta de vacina

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 22 de abril de 2021 as 11:40, por: CdB

A Polícia Civil do Rio de Janeiro cumpriu nesta quinta-feira oito mandados de busca e apreensão contra suspeitos de fraudes em oferta de vacina contra a covid-19. A empresa e seus representantes são investigados por venderem lotes de imunizante Oxford/AstraZeneca a prefeituras sem garantir a entrega do produto.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A Polícia Civil do Rio de Janeiro cumpriu nesta quinta-feira oito mandados de busca e apreensão contra suspeitos de fraudes em oferta de vacina contra a covid-19. A empresa e seus representantes são investigados por venderem lotes de imunizante Oxford/AstraZeneca a prefeituras sem garantir a entrega do produto.

Cada dose era oferecida por US$ 7,90

Segundo a Polícia Civil, a empresa oferecia cada dose por US$ 7,90 para municípios. No entanto, como as vacinas de AstraZeneca estão todas destinadas a consórcios internacionais e a governos de países, não há doses remanescentes para serem comercializadas com empresas ou mesmo com estados e municípios.

Oferta da empresa

Entre os municípios que receberam oferta da empresa, sediada em Recife, estão Duque de Caxias e Barra do Piraí, no Rio, e Porto Velho. A capital rondoniense, por exemplo, já teria, segundo a Polícia Civil, feito o pagamento, mas ainda não recebeu as doses.

A operação está sendo feita em parceria com a Polícia Civil de Pernambuco e a Polícia Rodoviária Federal.

Grupo de milicianos

Policiais civis da 28ª DP (Praça Seca) prenderam em flagrante, na quarta-feira, um colombiano, de 22 anos, suspeito de fazer parte da milícia da comunidade da Chacrinha, na Praça Seca. Conhecido como “Colombiano”, ele foi preso em flagrante quando recolhia pagamentos obtidos por meio de extorsão contra os comerciantes locais.

Com ele foram apreendidos um caderno com anotações dos locais de cobrança e R$ 1.710. Segundo as investigações, o dinheiro seria parte do valor arrecadado por meio da extorsão efetuada na região. Ele responderá pelo crime de constituição de milícia privada.

Após a ação, o acusado foi encaminhado para o sistema penitenciário e ficará à disposição da Justiça.

Furto

Policiais civis da 33ª DP (Realengo) prenderam, na terça-feira, quatro homens acusados de furtar energia elétrica. Eles foram localizados e presos em Padre Miguel, Zona Oeste do Rio, após trabalho de inteligência e monitoramento.

De acordo com os agentes, a ação teve como objetivo verificar se estabelecimentos da região comercializavam produtos roubados. No entanto, após diligências, os policiais observaram que um depósito de bebidas, um lava a jato, uma loja de aparelhos de ar-condicionado, uma barbearia e um borracheiro estavam conectados diretamente à rede elétrica em via pública. O crime foi constatado pela perícia.

Os acusados foram encaminhados ao sistema prisional e estão à disposição da Justiça.