Polícia investiga superfaturamento de máscaras na prefeitura de São Luís

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 9 de junho de 2020 as 13:36, por: CdB

Cerca de 60 policiais federais cumpriram nesta terça-feira três mandados de prisão temporária e 14 de busca e apreensão, em uma operação batizada de Cobiça Fatal. Na ação desta terça também houve o sequestro de bens e bloqueio de contas dos investigados. 

Por Redação, com ABr – de Brasília

Cerca de 60 policiais federais cumpriram nesta terça-feira três mandados de prisão temporária e 14 de busca e apreensão, em uma operação batizada de Cobiça Fatal. As investigações, que têm o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU), apontaram possíveis desvios de recursos públicos federais, que seriam usados no enfrentamento ao novo coronavírus, no Maranhão.

A operação Cobiça Fatal tem apoio da CGU
A operação Cobiça Fatal tem apoio da CGU

Na ação desta terça também houve o sequestro de bens e bloqueio de contas dos investigados. As ordens judiciais foram expedidas pelo juiz da 1ª Vara Federal de São Luís/MA. A investigação apontou indícios de superfaturamento na compra de 320 mil máscaras pela Secretaria Municipal de Saúde de São Luís.

O material foi adquirido por R$ 9,90, a unidade, enquanto o preço médio, praticado no mercado nacional, é R$ 3,17. O sobrepreço é estimado em R$ 2,3 milhões, no total.

Penas

Os investigados podem responder pelos crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, fraude em processo licitatório, superfaturamento na venda bens e associação criminosa.

A operação, segundo a Polícia Federal, foi denominada Cobiça Fatal em razão do desejo imoderado de obtenção de riqueza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *