Políticos de Tocantins são intimados a depor na Polícia Federal

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 6 de março de 2018 as 14:45, por: CdB

Além dos mandados de intimação, 28 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no Tocantins, em Goiás, na Bahia, em Mato Grosso e no Distrito Federal

Por Redação, com ABr – de Brasília:

Cerca de 160 policiais federais participaram de uma operação deflagrada nesta terça-feira para apurar o desvio de recursos públicos destinados à construção de pontes e rodovias no Tocantins. Entre as 31 pessoas intimidadas a depor, estão o governador Marcelo Miranda e o ex-governador Siqueira Campos, que compareceram à Superintendência da Polícia Federal (PF), em Palmas, ainda durante a manhã.

Cerca de 160 policiais federais participaram de uma operação deflagrada nesta terça-feira

Além dos mandados de intimação, 28 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no Tocantins; em Goiás, na Bahia, em Mato Grosso e no Distrito Federal.

De acordo com a PF, a investigação foi motivada por um pedido do Superior Tribunal de Justiça (STJ); e apura a suspeita da prática de crimes de peculato; corrupção ativa e passiva, crimes contra o sistema financeiro e fraudes na execução de contratos administrativos e formação de cartel.

Durante as investigações que culminaram na deflagração da chamada Operação Pontes de Papel, os policiais federais reuniram indícios de que políticos, empresários, funcionários comissionados e servidores públicos participavam das fraudes licitatórias.

O núcleo político aprovava as obras e os termos dos contratos assinados com as construtoras contratadas, que se beneficiavam do suposto esquema simulando executar obras e serviços não prestados. Já o núcleo de servidores era formado por secretários, fiscais e servidores públicos que deixavam de fiscalizar o cumprimento dos contratos.

A PF estima que cerca de R$ 420 milhões tenham sido desviados dos cerca de R$ 1,4 bilhões investidos nas obras. O nome da operação, segundo a PF; faz referência à construção “de inúmeras pontes que não passaram de papel”; ou seja, de contratos não executados.

A assessoria do ex-governador

Em nota, a assessoria do ex-governador Siqueira Campos disse que ele está à disposição da Justiça; para prestar os esclarecimentos necessários. “Como homem público, ele não se esquiva de responder a qualquer questionamento. Palmas e Tocantins conhecem as pontes construídas por Siqueira Campos; que jamais foi ordenador de despesas, gestor de contratos ou responsável por medições de responsabilidade técnica.”

A reportagem não conseguiu contato com o atual governador, Marcelo Miranda; nem com seus advogados. Procurada, a assessoria do governo estadual não se manifestou até a publicação do texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *