População de cidade canadense rejeita Jogos de Inverno

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 15 de novembro de 2018 as 11:45, por: CdB

Segundo os dados provisórias da votação informados nesta quarta-feira, das 304.774 pessoas que participaram da votação, 171.750 foram contra a proposta, o que representa 56,4% do eleitores, e 132.832 foram a favor.

Por  Redação, com EFE – de Toronto 

Os moradores de Calgary, no Canadá, rejeitaram através de um plebiscito que a cidade se candidate a sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2026.

Segundo os dados provisórias da votação informados nesta quarta-feira, das 304.774 pessoas que participaram da votação, 171.750 foram contra a proposta, o que representa 56,4% do eleitores, e 132.832 foram a favor.

Os moradores de Calgary, no Canadá, rejeitaram através de um plebiscito que a cidade se candidate a sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2026

Embora a votação não seja vinculativa, tanto o Governo canadense quanto a província de Alberta tinham condicionado proporcionar apoio financeiro para a realização dos Jogos de Inverno à aprovação majoritária da candidatura.

Após a divulgação do resultado do pebliscito, o presidente do comitê da iniciativa de Calgary, Scott Hutchenson, declarou estar decepcionado com o resultado, mas disse que respeitará o processo democrático.

O prefeito da cidade, Naheed Nenshi, que tinha expressado seu apoio à candidatura, também aceitou o resultado. “O povo falou, e o fez em grandes números. O povo falou às claras. E é muito evidente a direção que temos que tomar”, disse.

O grupo NoCalgaryOlympics, oposto à iniciativa de tentar sediar o evento, criticava a tentativa devido ao elevado custo de realizar a competição internacional, que seria de cerca de 5,1 milhões de dólares canadenses (R$ 14,6 milhões).

Deste número, mais da metade procederia de fundos públicos do Governo federal, do Governo da província de Alberta e da cidade de Calgary. Mas o NoCalgaryOlympics acredita que os números reais seriam muito mais altos e deixariam a cidade endividada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *