Preço do diesel sobe nas refinarias e postos de combustíveis de todo o país

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 3 de dezembro de 2019 as 14:57, por: CdB

Por Redação – do Rio de Janeiro

O preço médio do óleo diesel subirá 2% nas refinarias da Petrobras, a partir desta quarta-feira, informou a companhia, em nota à imprensa. As cotações da gasolina, por enquanto, tendem a permanecer estáveis, após alta substancial de 4%, nos últimos dias. As tarifas de transportes de cargas e passageiros tendem a seguir na mesma direção, preveem analistas econômicos ouvidos pela reportagem do Correio do Brasil.

O óleo diesel abastece, principalmente, as frotas de ônibus e caminhões e, por isso, influi diretamente no preços de passagens e produtos
O óleo diesel abastece, principalmente, as frotas de ônibus e caminhões e, por isso, influi diretamente no preços de passagens e produtos

O repasse dos ajustes de preço nas refinarias para o consumidor final nos postos não são imediatos e dependem de diversos fatores, como impostos, margens de distribuição e revenda e mistura de biocombustíveis. A elevação dos preços, no entanto, já pressiona os índices macroeconômicos.

Crescimento

O primeiro deles é o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, que acelerou ligeiramente a expansão no terceiro trimestre em relação aos três meses anteriores. No período entre agosto e outubro, o PIB cresceu 0,6% na comparação com o segundo trimestre, de acordo com dados divulgados, na véspera, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No segundo trimestre, o PIB aumentou 0,5%, em dado revisado pelo IBGE de alta 0,4%, após estagnação nos três primeiros meses do ano. Na comparação com o terceiro trimestre de 2018, houve expansão de 1,2%. A mediana das expectativas em pesquisa da agência inglesa de notícias Reuters era de crescimento de 0,4% do PIB no terceiro trimestre de 2019 em relação ao segundo e de 1,0% sobre um ano antes.

A alta na cotação do dólar e, de resto, das commodities, a exemplo do petróleo, grãos e minérios, tende a influir nos cálculos do IBGE, nas próximas semanas.