Preço do gás sobe por culpa de Bolsonaro, responde Dino

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 28 de julho de 2021 as 12:29, por: CdB

“Este tema relativo aos impostos deve ser resolvido pelo Congresso, no âmbito da reforma tributária. Eu particularmente sou a favor do fim do ICMS, eu acho que ele deve ser extinto no Brasil. Mas nenhum governador pode fazer isso sozinho”, afirmou o governador do Maranhão, Flávio Dino (sem partido).

Por Redação, com RBA – de São Luís

Governador do Maranhão, o ex-desembargador Flávio Dino respondeu às declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na véspera. O mandatário neofascista voltou a afirmar que a culpa pela alta de preços dos derivados de petróleo, como o botijão de gás e os combustíveis, é dos governadores do país.

Governador do Maranhão, o ex-desembargador Flavio Dino (PCdoB) assina manifesto que pede a remoção do presidente Bolsonaro (sem partido)
Governador do Maranhão, o ex-desembargador Flavio Dino (PCdoB) assina manifesto que pede a remoção do presidente Bolsonaro (sem partido)

Para Bolsonaro, os tributos estaduais são os responsáveis e os governadores deveriam, nas suas palavras, colaborar para o fim desses impostos.

— Este tema relativo aos impostos deve ser resolvido pelo Congresso, no âmbito da reforma tributária. Eu particularmente sou a favor do fim do ICMS, eu acho que ele deve ser extinto no Brasil. Mas nenhum governador pode fazer isso sozinho — afirmou Dino à agência brasileira de notícias Rede Brasil Atual (RBA).

Responsabilidade

 Dino lembra que existem regras que o Poder Executivo deve seguir.

— O Presidente da República deveria saber disso, mas ele não sabe de quase nada de positivo, só de coisas negativas. Então, ele deveria saber que existe uma Constituição, existe o Código Tributário Nacional, existe a Lei de Responsabilidade Fiscal, que os governadores têm que cumprir. Você não pode fazer renúncia de receita sem a previsão da compensação. Existe o Confaz, o Conselho Nacional de Política Fazendária, que é do Ministério da Economia — acrescentou.

Para o governador do Maranhão, Bolsonaro deveria saber essas coisas, mas não sabe ou não quer saber.

— Ou finge não saber e quer se esconder das suas próprias responsabilidades. Basta você comparar: o ICMS sempre existiu. E por que recentemente houve essa disparada no preço dos derivados de petróleo? Por conta de uma política equivocada, criminosa, de equiparação de preços ao mercado internacional em dólar — pontuou Dino.

Pobreza

Com a política cambial que o Governo Federal praticou, segundo analisa o governador, o país teve uma disparada na depreciação do Real frente ao dólar. 

— Foi isso que aconteceu e os preços no mercado interno dispararam, atentando para os outros preços. E somando a isso tivemos a inflação de alimentos, esse desastre da pobreza que o Bolsonaro criou. E aí ele finge não ser presidente da República, e quer sempre culpar os governadores — concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code