Preços do petróleo Brent devem seguir perto de US$60 por barril em 2020

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 23 de outubro de 2019 as 11:02, por: CdB

O Goldman Sachs também reduziu sua previsão de crescimento da demanda por petróleo para 950.000 bpd em 2019, de 1,25 milhão de bpd.

Por Redação, com Reuters – de Londres

Os preços do petróleo Brent provavelmente continuarão sendo negociados em torno dos níveis atuais em 2020, disse o Goldman Sachs nesta quarta-feira, uma vez que a desaceleração do crescimento econômico e preocupações geopolíticas não geram expectativas de grandes ondas no mercado.

O banco estimou que o mercado global de petróleo apresentava um déficit de oferta de 1,3 milhão de barris por dia (bpd) durante o terceiro trimestre
O banco estimou que o mercado global de petróleo apresentava um déficit de oferta de 1,3 milhão de barris por dia (bpd) durante o terceiro trimestre

Os preços do petróleo Brent devem continuar sendo negociados em torno de US$ 60 por barril, segundo nota do banco de investimento na terça-feira.

“Os cortes em andamento pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e a desaceleração da atividade de “shale” compensarão a alta na oferta de outros países que não são da Opep e o crescimento moderado da demanda no próximo ano”, disse o Goldman.

O banco estimou que o mercado global de petróleo apresentava um déficit de oferta de 1,3 milhão de barris por dia (bpd) durante o terceiro trimestre, devido aos cortes voluntários da Arábia Saudita e à perda do fornecimento iraniano e venezuelano ao mercado por causa das sanções dos EUA.

O Goldman Sachs também reduziu sua previsão de crescimento da demanda por petróleo para 950.000 bpd em 2019, de 1,25 milhão de bpd. Em 2020, a projeção foi cortada para 1,25 milhão de bpd, de 1,45 milhão de bpd anteriormente.

Na última semana, o petróleo Brent registrou uma pequena variação nesta quarta-feira, tendo de pano de fundo preocupações com a demanda mais fraca por combustível devido ao crescimento econômico mais lento e às previsões de um aumento adicional nos estoques de petróleo dos Estados Unidos. Os preços ganharam algum apoio devido a sinais da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de que mais restrições ao suprimento de petróleo podem ocorrer em dezembro.