Prefeito de Japeri é condenado por porte ilegal de arma

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 22 de janeiro de 2019 as 13:03, por: CdB

A Justiça determinou que Moraes pague uma multa no valor de cinco salários mínimos e preste serviços comunitários. Na sentença, a 1ª Vara Criminal de Nova Iguaçu determina a suspensão da prisão preventiva do prefeito.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O prefeito de Japeri, na Baixada Fluminense, Carlos Moraes, foi condenado pela Justiça do Rio de Janeiro a três anos de prisão por porte ilegal de arma de fogo. A pena, no entanto, será cumprida em regime aberto, de acordo com decisão da Primeira Vara Criminal de Nova Iguaçu.

O prefeito de Japeri, na Baixada Fluminense, Carlos Moraes, foi condenado pela Justiça do Rio de Janeiro a três anos de prisão

A Justiça determinou que Moraes pague uma multa no valor de cinco salários mínimos e preste serviços comunitários. Na sentença, a 1ª Vara Criminal de Nova Iguaçu determina a suspensão da prisão preventiva do prefeito.

Carlos Moraes foi preso em julho do ano passado pela Operação Sênones, que investigava a ligação de políticos com quadrilhas que comercializam drogas ilícitas na Baixada Fluminense. Durante o cumprimento de mandado de prisão, foram encontradas, na casa do prefeito, uma pistola calibre 9 milímetros, de uso restrito, e várias munições.

Operação Marítima da Lei Seca

O primeiro fim de semana da Operação Marítima da Lei Seca, realizada em conjunto com a Capitania dos Portos do Rio de Janeiro nos últimos dias 19 e 20, resultou na abordagem de 287 embarcações, dez notificações e autuação de duas pessoas por embriaguez. As primeiras ações foram concentradas na Baía de Guanabara, Lagoa de Marapendi, Quebra-mar e Itaipu (Niterói).

A operação envolve equipes da Operação Lei Seca da Secretaria de Estado de Governo do Rio de Janeiro, Guarda Municipal, Unidade de Polícia Ambiental Marítima da Polícia Militar, além da Marinha do Brasil.

A operação vai continuar durante todo o verão. Os agentes verificam dentro das embarcações em áreas marítimas com grande fluxo turístico. É distribuído material educativo a condutores, tripulação e passageiros.

– A ideia é expandir a Lei Seca, pegando todo o litoral e expandindo pelo interior do estado. A ação acontece no verão porque é a época em que aumentam em 40% os acidentes em geral, não só no mar. Atuaremos nos fins de semana – afirmou o secretário de Governo e Relações Institucionais, Gutemberg Fonseca.

Segundo o secretário, a Operação Marítima vai ocorrer periodicamente em todo o estado, com o apoio das outras operações da Secretaria de Governo. Em caso de alcoolemia do condutor, a Capitania dos Portos fará a autuação.

O Comando do 1º Distrito Naval, da Marinha, informou que em todo o ano de 2018 foram abordadas 6.738 embarcações, sendo 470 notificadas, 133 apreendidas e duas pessoas conduzidas até a autoridade policial, após a verificação de ingestão de álcool. No ano de 2019, a Marinha já fez 1.611 abordagens, com 49 notificações, duas pessoas autuadas com o uso do etilômetro e uma apreensão. Não foi registrado nenhum incidente por embriaguez desde dezembro de 2018.

Em caso de irregularidade, a Capitania dos Portos do Rio de Janeiro pede o envio do nome da embarcação, do número de inscrição para o telefone 2104-5480 (atendimento de denúncias) e o número 97299-8300 (para o envio de imagens).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *