Prefeito do Rio irá recorrer de liberação de pedágio na Linha Amarela

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado domingo, 23 de dezembro de 2018 as 10:31, por: CdB

De acordo com Crivella, foi uma decisão (a liminar que determinou a volta da cobrança) que trouxe imenso desalento, até porque o Ministério Público tinha decidido, junto com a prefeitura. “Decidiu a nosso favor.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou que o município vai recorrer da liminar que permitiu à Lamsa, concessionária que administra a Linha Amarela, voltar a cobrar pedágio no sentido Fundão da via expressa, que liga a Avenida Brasil ao outro extremo da cidade, na Barra da Tijuca. Somente no sentido Fundão passam diariamente, em média, 91 mil veículos.

Crivella vai recorrer de liberação de pedágio na Linha Amarela

Na última quinta-feira, Crivella assinou decreto determinando o fim da cobrança do pedágio no sentido Ilha do Fundão por 19 meses. Em auditoria feita por uma comissão das secretarias municipais de Transportes, de Infraestrutura e Habitação e da Controladoria-Geral do Município foram encontradas cobranças irregulares por parte da Lamsa, que somam cerca de R$ 223,9 milhões. A forma mais justa de devolução desses valores, segundo o prefeito, é beneficiar o usuário com a redução da tarifa, pela suspensão da cobrança em um dos sentidos da via.

De acordo com Crivella, foi uma decisão (a liminar que determinou a volta da cobrança) que trouxe imenso desalento, até porque o Ministério Público tinha decidido, junto com a prefeitura. “Decidiu a nosso favor. O que alega a juíza? Que o processo administrativo não tinha encerrado. Mas isso não desobriga o prefeito de tomar uma decisão, na medida em que todo o parecer técnico comprovava que havia grave prejuízo à economia popular, às pessoas, e foi o que fiz”, avaliou.

– Estamos tentando (derrubar a decisão judicial), e se não conseguirmos, vamos pedir a suspensão da liminar ao presidente do TJ (Tribunal de Justiça). Importante é que o povo inteiro do Rio de Janeiro sabe que é uma causa justa, não é possível pedágio a R$ 14,40 [nos dois sentidos da travessia], é muito caro. E se compararmos com a Ponte Rio-Niterói, a discrepância é ainda maior. Tenho certeza de que vamos vencer essa batalha, para o bem do povo do Rio – completou o prefeito. A tarifa na ponte Rio-Niterói é de R$ 4,30 e cobrada apenas em um sentido.

A auditoria da prefeitura encontrou cobrança até 60 vezes maior por serviços realizados na Linha Amarela. Um exemplo é o preço cobrado pela movimentação de placas de sinalização de trânsito, instaladas para orientação dos motoristas. A planilha de custos da prefeitura estabelece esse valor em R$ 1.000 para uma placa de dez metros quadrados. A Lamsa, porém, cobrou R$ 60 mil pelo serviço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *