Prefeitura do Rio suspende todos os pagamentos

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de dezembro de 2019 as 10:57, por: CdB

A prefeitura do Rio de Janeiro anunciou nesta terça-feira a suspensão provisória de todos os pagamentos a serem realizados pelo Tesouro Municipal.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A prefeitura do Rio de Janeiro anunciou nesta terça-feira a suspensão provisória de todos os pagamentos a serem realizados pelo Tesouro Municipal. A resolução 3.111, da Secretaria Municipal de Fazenda, foi publicada no Diário Oficial do Município.

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella
O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella

De acordo com nota à imprensa divulgada pela prefeitura carioca, o objetivo da medida é ajustar o caixa do município do Rio de Janeiro em função dos arrestos determinados pela Justiça do Trabalho para pagamento de salários atrasados funcionários terceirizados da saúde municipal.

Até o momento, no total, a Justiça determinou, o arresto de R$ 420 milhões, mas na prática encontrou pouco mais da metade desse valor, R$ 223 milhões. Um novo bloqueio, de R$ 164 milhões, foi decretado nesta terça-feira.

Segundo o economista do Ibmec Daniel Souza, a medida pode ser considerada um calote.

– Quando você suspende o funcionamento do Tesouro, você não paga ninguém, é calote estabelecido pela falta do fluxo de caixa por suspender as movimentações financeiras. Me parece uma medida extrema que a prefeitura adota diante da delicada situação do município – disse Souza.

Já o ex-chefe da Casa Civil de Marcelo Crivella, o vereador Paulo Messina (PSD) considera que a resolução representa a decretação oficial da falência do município.

– Não tem mais um tostão em caixa, a Justiça está em busca de recursos para a Saúde, Comlurb ameaçando paralisar às vésperas do Réveillon e 13º do servidor atrasado. O risco agora é de atrasarem os duodécimos de Câmara e TCM nesta quinta-feira e a própria folha de dezembro (em 8 de janeiro) e as férias dos servidores da Educação (também em 8 de janeiro) – afirma.

Segundo a prefeitura, o procedimento é “pontual e pode ser revertido a qualquer momento”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *