Prefeitura do Rio terá que desocupar prédios irregulares em comunidade 

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 17 de março de 2021 as 12:22, por: CdB

A Justiça do Rio de Janeiro determinou que a prefeitura carioca desocupe prédios construídos de maneira irregular na comunidade da Muzema, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Em abril de 2019, dois prédios ilegais desabaram na favela, matando 24 pessoas.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A Justiça do Rio de Janeiro determinou que a prefeitura carioca desocupe prédios construídos de maneira irregular na comunidade da Muzema, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Em abril de 2019, dois prédios ilegais desabaram na favela, matando 24 pessoas.

Em 2019, dois prédios ilegais desabaram na favela, matando 24 pessoas

A decisão foi tomada pela Segunda Vara de Fazenda Pública do Rio a pedido do Ministério Público Estadual (MPRJ). A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa do MPRJ.

A prefeitura, que tem 15 dias para cumprir a decisão, tomada em 10 de março, deverá cadastrar todos os moradores desses imóveis que precisarão de aluguel social.

MPRJ

O MPRJ ajuizou a ação civil pública porque, segundo a instituição, o município não impediu as construções irregulares no local, não removeu os moradores de lá e nem demoliu os imóveis já construídos.

O objetivo da ação é garantir a integridade física dos moradores, devidos aos riscos de deslizamento de encostas (que ficam próximas a esses prédios) e de desabamento dos edifícios.

A Procuradoria Geral do Município do Rio informou que, neste momento, está avaliando a decisão judicial.

Traficante foragido

Policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) prenderam, na terça-feira, homem acusado de tráfico de drogas no Estado da Paraíba. Ele foi localizado e preso na comunidade da Muzema, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, e não reagiu a prisão.

Os agentes conseguiram chegar ao detido após amplo trabalho de inteligência e monitoramento. Segundo as investigações, o criminoso teria vindo para ao cidade do Rio de Janeiro após investidas de policiais paraibanos em sua captura.

Contra o acusado, foi cumprido um mandado de prisão preventiva expedido pela 2ª vara mista do município de Itabaiana, na Paraíba. Ele foi encaminhado ao sistema prisional e ficará à disposição da Justiça.