Premiê britânica faz proposta à UE para o Brexit

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 2 de outubro de 2019 as 10:57, por: CdB

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, apresentou uma proposta para a separação britânica da União Europeia ao bloco nesta quarta-feira.

Por Redação, com Reuters – de Londres

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, apresentou uma proposta para a separação britânica da União Europeia ao bloco nesta quarta-feira, mas disse que, se Bruxelas se omitir, seu país dirá adeus no dia 31 de outubro sem um acordo.

Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson
Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson

Em seu discurso de encerramento na conferência anual do Partido Conservador, Johnson se ateve à postura rígida sobre o Brexit, dando aos membros do partido alguns dos primeiros detalhes do que descreveu como sua “concessão justa e sensata” à UE.

Com uma estratégia que definirá o futuro do Brexit, da UE e de seu mandato, Johnson está apostando que conseguirá concessões suficientes de Bruxelas para persuadir os apoiadores do Brexit no Parlamento britânico a ratificarem um acordo.

– Sairemos da UE no dia 31 de outubro, aconteça o que acontecer – disse Johnson aos correligionários depois de expressar “amor” pela Europa, em um discurso que se concentrou sobretudo em questões domésticas, como a saúde, a economia e o crime.

– Estamos oferecendo o que acredito serem propostas construtivas e sensatas que proporcionam uma concessão para os dois lados – disse. “Não tenhamos dúvida de que a alternativa é não ter um acordo”.

Faltando menos de um mês para o Reino Unido deixar a UE, sua manobra geopolítica mais relevante desde a Segunda Guerra Mundial, o chamado Brexit ainda é incerto. O país pode sair com ou sem um acordo, ou nem mesmo sair.

Caos

A questão mergulhou a política britânica no caos e dividiu profundamente a nação, 52% da qual votou pela desfiliação em um referendo de 2016.

Dando poucos detalhes de suas propostas, o premiê afirmou que não haverá verificações na fronteira irlandesa ou em sua proximidade. Ele disse que o Reino Unido respeitará o acordo de paz de 1998, que encerrou três décadas de conflito na província, mas não explicou como.

– Através de um processo de consentimento democrático renovável do Executivo e da assembleia da Irlanda do Norte – disse. “Iremos mais longe e protegeremos os arranjos regulatórios existentes para agricultores e outros negócios dos dois lados da fronteira”.

Ele disse que o Reino Unido “todo e por inteiro” se retirará da UE, que Londres manterá o controle de sua própria política comercial desde o início e que a tecnologia pode oferecer uma solução, mas não deu detalhes.