Premiê italiano alerta para risco de colapso em UTIs

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 9 de novembro de 2020 as 11:49, por: CdB

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, alertou nesta segunda-feira que as UTIs do país arriscam entrar “em colapso” se a curva de contágios na pandemia do Sars-CoV-2 mantiver a tendência de crescimento.

Por Redação, com ANSA – de Roma

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, alertou nesta segunda-feira que as UTIs do país arriscam entrar “em colapso” se a curva de contágios na pandemia do Sars-CoV-2 mantiver a tendência de crescimento.

Unidade de terapia intensiva em hospital de Nápoles, na Campânia
Unidade de terapia intensiva em hospital de Nápoles, na Campânia

Em mensagem no Facebook, o chanceler lembrou que o país tem hoje cerca de 560 mil casos ativos do novo coronavírus, número recorde desde o início da pandemia. Desse total, 2.749 pacientes estão em UTIs, maior número desde 17 de abril (2.812).

– Devemos ficar atentos ao que está acontecendo em nossos hospitais. Repito isso há dias: se a curva de contágios não diminuir e o número de internações em terapias intensivas continuar aumentando, arrisca-se um colapso. E é isso o que dizem médicos e cientistas – declarou Di Maio.

Quatro regiões em lockdown

O governo da Itália já colocou quatro regiões (Lombardia, Piemonte, Vale de Aosta e Calábria) em lockdown, mas médicos querem que a medida seja estendida a todo o território nacional, assim como ocorreu entre março e maio.

O país vem registrando recordes seguidos de casos diários de Sars-CoV-2, e o número de mortes a cada 24 horas, 331 no último domingo, voltou ao patamar do início de maio. Até o momento, a Itália soma mais de 935 mil contágios e cerca de 41,4 mil óbitos na pandemia.