Presidente da Argentina testa positivo para covid-19

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 3 de abril de 2021 as 13:14, por: CdB

Alberto Fernández diz estar bem e aguarda resultado de teste PCR para confirmar infecção. Peronista foi vacinado há cerca de dois meses, e laboratório reitera que imunizante evita casos graves da doença.

Por Redação, com DW – de Buenos Aires

Vacinado contra a covid-19 há cerca de dois meses, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, informou na madrugada deste sábado que testou positivo para o coronavírus Sars-Cov-2 após apresentar sintomas leves da doença.

“É evidente que a pandemia não acabou e devemos seguir nos cuidando”, disse o líder argentino

– Depois de apresentar um registro de febre de 37,3 e uma leve dor de cabeça, realizei um teste de antígeno cujo resultado foi positivo – escreveu o líder argentino no Twitter. Ele disse que aguarda agora o resultado de um teste PCR, mais preciso, para confirmar a infecção.

O presidente, que completou 62 anos de idade nesta sexta-feira, garantiu que está “fisicamente bem”. “E ainda que eu teria gostado de terminar meu aniversário sem essa notícia, também estou de bom humor”, acrescentou.

Ele afirmou que está isolado, cumprindo o protocolo em vigor e seguindo as orientações de seu médico pessoal. “Entrei em contato com as pessoas com quem me encontrei nas últimas 48 horas para avaliar se constituem um contato estreito para que façam isolamento.”

Vacina eficaz contra casos graves

Fernández foi o primeiro presidente latino-americano a ser vacinado contra a covid-19. Ele recebeu a primeira dose da vacina russa Sputnik V em 21 de janeiro, em Buenos Aires. Segundo afirmaram fontes presidenciais à agência de notícias AFP, a segunda dose foi aplicada em 11 de fevereiro.

O Instituto Gamaleya, que desenvolveu a vacina na Rússia, publicou uma declaração neste sábado lamentando a infecção e reiterando a eficácia do imunizante contra casos graves da doença.

“Estamos tristes com o ocorrido. A Sputnik V é 91,6% eficaz contra infecções e 100% eficaz contra casos graves. Se a infecção for confirmada, a vacinação garante uma recuperação rápida sem sintomas graves”, escreveu o laboratório, ligado ao Ministério da Saúde russo. “Desejamos a você (Fernández) uma rápida recuperação!”

As vacinas contra a covid-19 não asseguram completamente que uma pessoa vacinada não seja infectada pelo vírus, mas são eficazes em evitar que a infecção evolua para um quadro grave. Os números apresentados pelo Gamaleya são resultado de uma análise preliminar da fase 3 de ensaios clínicos da vacina, publicada em fevereiro na revista britânica The Lancet.

“Pandemia não acabou”

Após informar o teste positivo, Fernández pediu aos argentinos que “continuem atentos” e sigam as medidas restritivas de combate à covid-19. “Peço a todos e todas que se preservem seguindo as recomendações vigentes. É evidente que a pandemia não acabou e devemos seguir nos cuidando”, escreveu.

Desde o início da pandemia, a Argentina contabilizou mais de 2,3 milhões de casos confirmados e cerca de 56 mil mortes, de acordo com a contagem da universidade americana Johns Hopkins. O país de 45 milhões de habitantes vacinou pouco mais de 680 mil pessoas até o momento.