Presidente volta defender a privatização imediata dos Correios

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 7 de janeiro de 2020 as 15:53, por: CdB

Apesar da afirmação, Bolsonaro disse se preocupar com o futuro dos servidores que, segundo ele, “não podem ser jogados para cima”.

 

Por Redação – de Brasília

Jair Bolsonaro voltou a defender o desmonte do Estado Brasileiro e a entrega das estatais à inciativa privada por meio do programa de privatizações implementado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, ao afirmar que “se pudesse” privatizaria os Correios ainda “hoje”.

Os Correios, prestes a deixar de ser estatal, fizeram um levantamento sobre as áreas mais complicadas de entrega das correspondências

— A gente pretende. Se pudesse privatizar hoje, privatizaria — afirmou Bolsonaro nesta terça-feira, em frente ao Palácio da Alvorada.

Comprador

Apesar da afirmação, Bolsonaro disse se preocupar com o futuro dos servidores que, segundo ele, “não podem ser jogados para cima”.

— O STF decidiu que as empresas-mães…as privatizações têm que passar pelo parlamento. Você mexe nessas privatizações com centenas, dezenas de milhares de servidores. É um passivo grande. Você tem que buscar solução para tudo isso. Você não pode jogar os caras para cima. Eles têm que ter as suas garantias. Tem que ter um comprador para aquilo. É devagar. Tem o TCU com lupa em cima de você. Não são fáceis as privatizações — disse.

Ainda conforme ele, a situação é comparável a de m médico que prescreve um tratamento sem saber a sua real eficácia.