Presidente dos EUA faz apelo para que nações rejeitem ‘sede de sangue’ do Irã

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 24 de setembro de 2019 as 13:00, por: CdB

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu nesta terça-feira que os países do mundo aumentem a pressão econômica sobre o Irã.

Por Redação, com Reuters – de Nova York

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu nesta terça-feira que os países do mundo aumentem a pressão econômica sobre o Irã, dizendo que nenhuma nação deve apoiar a “sede de sangue” iraniana.

Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa na Assembleia Geral da ONU

– Todas as nações têm o dever de agir – disse Trump durante seu discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

– Nenhum governo responsável deve subsidiar a sede de sangue do Irã. Enquanto o comportamento ameaçador do Irã prosseguir, sanções não serão suspensas. Elas serão reforçadas – acrescentou.

Trump, pediu nesta terça-feira que nações ao redor do mundo adotem o nacionalismo e rejeitem o globalismo, dizendo que líderes sábios colocam o próprio povo e país em primeiro lugar.

– O mundo livre precisa abraçar seus alicerces nacionais. Ele não deve tentar apagá-los ou substituí-los – disse Trump durante seu discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. “O futuro pertence aos patriotas.”

Trump ataca políticas de ativistas

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira que as políticas defendidas pelo que chamou de “ativistas de fronteiras abertas” prejudicam as pessoas que deveriam ser ajudadas, e classificou a imigração ilegal como um dos mais cruciais desafios do mundo.

– Hoje eu tenho uma mensagem para aqueles ativistas a favor de fronteiras abertas que se escondem na retórica de justiça social: suas políticas não são justas. Suas políticas são cruéis e perversas.

– Vocês estão capacitando organizações criminosas que atacam homens, mulheres e crianças inocentes. Vocês colocam seu próprio falso senso de virtude antes das vidas, do bem-estar e de inúmeras pessoas inocentes – disse ele. “Quando vocês prejudicam a segurança nas fronteiras, estão comprometendo os direitos humanos e a dignidade humana”.