Presidente insiste em reduzir o risco da pandemia com teoria conspiratória

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 23 de março de 2020 as 17:19, por: CdB

A população, segundo Bolsonaro, descobrirá em breve que foi enganada pelos governadores dos Estados e pela imprensa na crise causada pela pandemia do novo coronavírus. Ele insiste que há um exagero nas medidas de combate à Covid-19, doença causada pelo vírus.

Por Redação – de São Paulo

Para o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), há uma trama sórdida engendrada entre a mídia e os governadores estaduais para derrubar a economia brasileira e, com isso, removê-lo do cargo. A teoria conspiratória foi exposta na noite passada, durante entrevista à TV Record.

Bolsonaro se atrapalha na hora de vestir a máscara higiênica, ao lado do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta
Bolsonaro se atrapalha na hora de vestir a máscara higiênica, ao lado do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a quem ele desautoriza

A população, segundo Bolsonaro, descobrirá em breve que foi enganada pelos governadores dos Estados e pela imprensa na crise causada pela pandemia do novo coronavírus. Ele insiste que há um exagero nas medidas de combate à Covid-19, doença causada pelo vírus.

‘Gripezinha’

Bolsonaro — apesar de dizer que jamais atacou governadores, mas que é atacado por eles constantemente — acusou os chefes dos Executivos estaduais de “exterminarem” empregos, e disse esperar não ser responsabilizado no futuro pelo caos econômico que, segundo ele, resultará das medidas estaduais.

— Brevemente o povo saberá que foi enganado por esses governadores e por grande parte da mídia na questão do coronavírus. Calma, tranquilidade, não levar pânico à população. Não exterminar empregos, senhores governadores. Sejam responsáveis. Espero que não queiram me culpar lá na frente pela quantidade de milhões e milhões de desempregados — disse Bolsonaro.

Sempre que o presidente repete o bordão de que a Covid-19 seria, na realidade, “uma gripezinha”, mais pessoas deixam de cumprir o período de quarentena recomendado pelo Ministério da Saúde de seu próprio governo. Bolsonaro disse, ainda, que os impactos de medidas restritivas adotadas por governos estaduais sobre os empregos será maior do que o que a Covid-19 terá no país.

Mortes

Sem provar qualquer das afirmação ou dar detalhes mínimos relativos à desinformação que dissemina, Bolsonaro fez a previsão que o número de mortes causadas pelo coronavírus no Brasil será menor do que as 800 causadas no ano passado no país pela gripe H1N1. O presidente que, recentemente chamou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de “lunático” e também entrou em atrito público com o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), negou que venha atacando os chefes de governo dos Estados.

— Você não me vê atacando nenhum governador. Eles é que me atacam constantemente. Isso não começou agora não, desde o início do ano passado que eles me atacam — diz ele.

Bolsonaro negou estar preocupado com os impactos da crise sobre sua popularidade, ao mesmo tempo que minimizou panelaços recentes realizados contra ele em várias cidades do país, alegando que eles foram incentivados pela TV Globo. No domingo, o Ministério da Saúde informou que o Brasil tem 1.546 casos confirmados de Covid-19 — com casos da doença registrados em todos os Estados do país — e 25 mortes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *