Presidente norte-americano defende tarifas impostas à China

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 21 de agosto de 2019 as 11:10, por: CdB

Enquanto Trump engrossa discurso, o governo chinês minimiza declarações e diz que o importante é resolver com diálogo.

Por Redação, com Reuters – de Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, endureceu sua retórica comercial na terça-feira, dizendo que teve que confrontar a China mesmo que isso provocasse danos de curto prazo à economia dos EUA porque o governo de Pequim enganou Washington por décadas.

A declaração de Trump foi dada horas antes de seu governo anunciar a aprovação de uma venda de US$ 8 bilhões de jatos F-16 da Lockheed Martin para Taiwan, movimento que deve irritar Pequim e reduzir ainda mais as perspectivas de um rápido acordo comercial.

Trump disse que teve que confrontar a China mesmo que isso provocasse danos de curto prazo à economia dos EUA

– Alguém tinha de enfrentar a China – disse Trump a repórteres durante visita à Casa Branca do presidente da Romênia, Klaus Iohannis.

– Isso era algo que precisava ser feito. A única diferença é que eu estou fazendo isso – completou.

O Ministério das Relações Exteriores da China aparentemente minimizou as declarações.

– O fato de os dois lados terem diferenças em questões de comércio e a economia não é algo a se ter medo. O importante é resolver as questões através do diálogo – disse o porta-voz do ministério, Geng Shuang, nesta quarta-feira em Pequim.

As tarifas e ameaças de Trump afetaram os mercados globais e irritaram investidores conforme a disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo se prolonga para o segundo ano sem um fim à vista.

Guerra comercial com EUA afetam índices chineses

Os índices acionários chineses tiveram pouca movimentação nesta quarta-feira enquanto o mercado aguarda pistas de autoridades no país e no exterior nesta semana sobre mais suporte ao crescimento em meio à guerra comercial com os Estados Unidos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, perdeu 0,16%, enquanto o índice de Xangai teve ganho de 0,01%.

O subíndice do setor financeiro recuou 0,2%, o de consumo perdeu 0,6% e o imobiliário avançou 0,1%.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, endureceu sua retórica comercial na terça-feira, dizendo que teve que confrontar a China mesmo que isso provocasse danos de curto prazo à economia dos EUA porque o governo de Pequim enganou Washington por décadas.

Os mercados na Ásia apostam que os bancos centrais irão interferir e impulsionar o crescimento econômico, conforme autoridades se reúnem em Jackson Hole nesta semana.

Operadores apostam que o Federal Reserve fará outro corte de 0,25 ponto percentual na taxa de juros no próximo mês, e o banco central norte-americano divulga a ata de seu último encontro de política monetária nesta quarta-feira.

Produção suína prejudicada

O governo chinês disse nesta quarta-feira que vai acelerar a distribuição de subsídios pagos por abates de suínos causados pela peste suína africana, como parte de um plano para estabilizar a produção e o fornecimento de suínos do país.

O rebanho chinês encolheu quase um terço, empurrando os preços de suínos vivos para níveis recordes.Os preços de carne suína no varejo também estão subindo, aumentando as preocupações do governo chinês em um momento em que a economia está desacelerando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *