Presidente em rota de colisão com ministro da Saúde leva insegurança aos brasileiros

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de março de 2020 as 16:06, por: CdB

Alguns dias depois de posar ao lado do ministro, com uma máscara higiênica no rosto, Bolsonaro descumpriu flagrantemente as orientações do próprio Ministério da Saúde, que o havia colocado em quarentena para evitar contato com multidões.

 

Por Redação – de Brasília

Em rota de colisão com o ministro da Saúde,  Luiz Henrique Mandetta, o presidente da República, Jair Bolsonaro, coloca em risco a população brasileira. Uma eventual demissão de Mandetta pode gerar uma crise de gravíssimas proporções, alertam autoridades do setor. O ministro contrariou o superior hierárquico logo no início da crise, quando determinou a proibição da saída de navios de cruzeiros até que o país consiga superar a emergência sanitária.

Um imigrante haitiano se revoltou contra a atitude do presidente Jair Bolsonaro, de expor os brasileiros ao novo coronavírus
Um imigrante haitiano se revoltou contra a atitude do presidente Jair Bolsonaro, de expor os brasileiros ao novo coronavírus

Alguns dias depois de posar ao lado do ministro, com uma máscara higiênica no rosto, Bolsonaro descumpriu flagrantemente as orientações do próprio Ministério da Saúde, que o havia colocado em quarentena para evitar contato com multidões, uma vez que foi exposto ao coronavírus, no Estado norte-americano da Flórida.

Bolsonaro também teria se irritado com o fato de Mandetta ter auxiliado o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), adversário político para as próximas eleições, a elaborar um plano de contingência contra a síndrome Covid-19.

— Mandetta, o que você está fazendo aí ao lado desse Doria? — teria questionado Bolsonaro, junto a assessores.

Praia lotada

Embora o ministro tenha respondido que apenas cumpria com suas obrigações, Bolsonaro ficou extremamente irritado. Ainda assim, Mandetta não retrocedeu nas críticas ao mandatário neofascista e o comparou àqueles que insistiram em lotar as praias do Rio de Janeiro, e colocaram em risco a saúde pública.

Mandetta também comparou a atitude de Bolsonaro, que deu a mão e pegou celular de dezenas de manifestantes ontem, com o trabalho de jornalistas que o entrevistavam com proximidade maior do que a recomendada – no mínimo dois metros.

— Eu acho que o presidente, vocês estão todos focados e apontando ali. Eu acho que o presidente teve a sua passagem ali (no ato) que vocês podem questionar. Agora, ontem a praia estava superlotada no Rio de Janeiro, os bares no Leblon, amigos meus mandaram fotos brindando — disse Mandetta, a repórteres.

A posição controversa do presidente, no entanto, levou um imigrante haitiano a protestar, na noite passada, contra os atos irresponsáveis da maior autoridade do país. Um vídeo gravado em frente ao Palácio da Alvorada, viralizou nas redes sociais após o manifestante confrontar o presidente da República. Em meio a apoiadores do presidente, o homem afirmou que “Bolsonaro acabou” e que deveria desistir da Presidência.

Assista ao vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *