Prévia do PIB cai em agosto na comparação a 2018

Arquivado em: Negócios, Sem categoria, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 14 de outubro de 2019 as 10:39, por: CdB

Na comparação com agosto de 2018, o IBC-Br teve queda de 0,73% e, no acumulado em 12 meses, houve alta de 0,87%, segundo números observados.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), teve avanço de 0,07% em agosto ante julho, segundo dados dessazonalizados divulgados pelo BC nesta segunda-feira.

A expectativa em pesquisa da Reuters era de alta de 0,10% na comparação mensal. Na comparação com agosto de 2018, o IBC-Br teve queda de 0,73% e, no acumulado em 12 meses, houve alta de 0,87%, segundo números observados.

O IBC-Br teve queda de 0,73% e, no acumulado em 12  meses, houve alta de 0,87%, segundo números observados
O IBC-Br teve queda de 0,73% e, no acumulado em 12 meses, houve alta de 0,87%, segundo números observados

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic.

O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo BC para fazer um acompanhamento mensal da atividade econômica. Mas o indicador oficial, com metodologia diferente do IBC-Br, é o Produto Interno Bruto (PIB), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgado trimestralmente.

Pior julho em três anos

Em setembro, o Banco Central divulgou que a atividade econômica do Brasil recuou em julho sobre junho, no pior resultado para o mês em três anos, depois de dois meses seguidos de alta, em mais uma evidência do caráter ainda errático da recuperação econômica deste ano.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), tido como uma “proxy” do Produto Interno Bruto (PIB), caiu 0,16% em julho na comparação com o mês anterior, em dados ajustados sazonalmente, informou o BC nesta sexta-feira.

Na comparação com julho de 2018, o IBC-Br subiu 1,31% e, no acumulado em 12 meses, avançou 1,07%. O acumulado em 12 meses mostra perda de ritmo, já quem, no período até junho, o IBC-Br teve alta de 1,13%.

Em junho, o índice subiu 0,34% sobre maio, em dados ajustados pelo BC. Em maio, a atividade econômica aumentou 1,16% sobre abril. Em julho de 2016, o IBC-Br recuou 0,23% sobre junho. Em 2017 (+0,39%) e 2018 (+0,52%), o mês foi positivo.

No trimestre móvel, contudo, o ritmo da atividade melhorou, saindo de queda de 0,11% no trimestre até junho para crescimento de 0,91% nos três meses até julho. No acumulado de 2019, o IBC-Br sobe 0,78%.

A queda do índice em julho sobre junho contrasta com alguns indicadores mais positivos no começo do terceiro trimestre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *