Previdência entrará na pauta da CCJ em primeiro lugar, diz Marinho

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 12 de abril de 2019 as 17:50, por: CdB

Sobre a possibilidade de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do orçamento impositivo ser avaliada antes na CCJ, atrasando a análise da matéria que é considerada crucial pelo governo para recolocar as contas públicas em ordem, Marinho destacou que Francischini publicaria, ainda nesta sexta-feira, a pauta da comissão.

 

Por Redação – de Brasília

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, afirmou nesta sexta-feira que a reforma da Previdência será colocada como primeiro item para votação na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados na próxima quarta-feira, dia 17. Marinho afirmou, a jornalistas, que a informação foi passada pelo presidente do colegiado, deputado Felipe Francischini (PSL-PR).

O secretário Rogério Marinho quer que a votação da reforma previdenciária ocorra antes de qualquer outra, na CCJ
O secretário Rogério Marinho quer que a votação da reforma previdenciária ocorra antes de qualquer outra, na CCJ

Sobre a possibilidade de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do orçamento impositivo ser avaliada antes na CCJ, atrasando a análise da matéria que é considerada crucial pelo governo para recolocar as contas públicas em ordem, Marinho destacou que Francischini publicaria, ainda nesta sexta-feira, a pauta da comissão “onde se coloca que será primeiro discutida e votada a PEC da Previdência”.

Marinho defendeu que a Comissão Especial da reforma da Previdência — etapa seguinte pela qual passará a PEC na Câmara após a aprovação pela CCJ — é o espaço adequado para discussão de eventuais mudanças no texto que muda as regras de acesso à aposentadoria.

— Procrastinar não interessa a ninguém. Estamos em situação em que o principal problema que o Brasil tem nas suas contas públicas é a pressão permanente do aumento do déficit previdenciário — afirmou.

Publicidade

Segundo Marinho, o governo lançará nova campanha de comunicação sobre a reforma nos próximos 10 a 15 dias, após o presidente Jair Bolsonaro anunciar há poucos dias o empresário Fábio Wajngarten como chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom), em substituição a Floriano Amorim.

Sobre eventual entrave à tramitação da reforma da Previdência com o interesse do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em tocar adiante uma reforma tributária, Marinho afirmou ter certeza que a proposta previdenciária será aprovada independentemente disso e que Maia será “grande aliado nesse processo”.

“Rodrigo é presidente do Parlamento como um todo. Ele não é líder do governo, ele tem que levar em consideração o que outros segmentos do Parlamento pensam”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *