A primeira baixa no bordel de Bolsonaro

Arquivado em: Opinião, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 14 de janeiro de 2019 as 09:36, por: CdB

O governo Jair Bolsonaro já se mostra uma verdadeira bagunça, uma zona. Ele reúne o que há de pior na política: milicos rancorosos, corruptos velhacos, fanáticos religiosos e malucos fascistas. Nesta quarta categoria encontra-se Ernesto Araújo, o novo ministro das Relações Exteriores.

Por Altamiro Borges – de São Paulo

Da cota do astrólogo-lunático Olavo de Carvalho, ele só obra besteiras, sempre em nome de Deus. Com suas declarações raivosas, o chanceler isola o Brasil no mundo e prejudica inclusive suas relações comerciais – com suas “guerras santas” à China, ao Mercosul e aos países árabes. Ele também é um incompetente, segundo boatos que circulam no Itamaraty. De concreto, Ernesto Araújo já é o responsável pela primeira baixa no bordel de Jair Bolsonaro.

Presidente da República, Jair Bolsonaro

No dia 9 deste mês, o presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), o recém-empossado Alecxandro Pinho Carreiro, deixou a função. Segundo matéria de Gabriela Valente e Eliane Oliveira, no jornal O Globo, ele “não resistiu à pressão e pediu demissão do cargo com uma semana de trabalho. Para que ele ficasse à frente da entidade, o estatuto da agência teria de ser alterado porque o publicitário não é fluente em inglês e não tem experiência no setor público na área de comércio exterior. Destacava no currículo estampado na página da Apex apenas uma passagem pelo Sebrae, onde era estagiário há menos de uma década”. Segundo a Folha, porém, Alecxandro Carreiro não “pediu demissão”; ele foi defenestrado!

“Nos bastidores da Apex, há alguns dias já se comentava a instabilidade do presidente. De acordo com relatos internos, Carreiro vinha demitindo sumariamente antigos funcionários para nomear aliados, sem fazer qualquer transição. Como entre os desligados havia servidores técnicos, instalou-se um clima de caça às bruxas que Ernesto Araújo quer evitar. Entre as pessoas demitidas está Ana Seleme, mulher de Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor do ex-presidente de facto, Michel Temer… Carreiro preparava mais uma leva de demissões, segundo pessoas da agência. Araújo foi informado da situação, motivo de desconforto interno, e pediu moderação. Carreiro, no entanto, manteve o método. O chanceler se irritou e pediu que renunciasse”.

O incompetente Ernesto Araújo comunicou a demissão pelo Twitter: “O Sr. Alex Carreiro pediu-me o encerramento de suas funções como Presidente da Apex. Agradeço sua importante contribuição na transição e no início do governo”. Segundo O Globo, além de amiguinho do chanceler, sem intimidade com a língua inglesa ou qualquer experiência em comércio exterior, o demissionário “era próximo do filho do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro”. Uma notinha na revista Época também acrescenta que Alecxandro Carreiro é um fanático “fã do presidente norte-americano Donald Trump”. Com a primeira queda no bordel de Bolsonaro, agita-se a bolsa de apostas sobre quem será a próxima vítima. Faça a sua aposta!

Altamiro Borges, é jornalista.

As opiniões aqui expostas não representam necessariamente a opinião do Correio do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *