Primeiro de Abril: Poder, mentiras deslavadas e uma sociedade dividida

Arquivado em: Destaque do Dia, Opinião, Últimas Notícias
Publicado domingo, 1 de abril de 2018 as 13:48, por: CdB
A seis meses das eleições, o confronto entre as forças políticas que dividem o Brasil tende a se ampliar em uma escalada sem precedentes; em busca do poder.
 
Por Gilberto de Souza – do Rio de Janeiro
 
A direita governa o país. Desde o Planalto até o nível celular, nos municípios, nos bairros, em cada escaninho obscuro do Judiciário, do clero e a ampla maioria do Congresso.
 
Neste detalhe de uma pintura de Debret, ainda no Século XVIII, está desenhado o sistema sobre o qual o Brasil foi construído. E segue governado
Neste detalhe de uma pintura de Debret, ainda no Século XVIII; está desenhado o sistema de poder sobre o qual o Brasil foi construído. E segue governado
 
Lula, o PT e uma parcela da esquerda não conseguiram, ou não quiseram, em 15 anos no exercício do governo, sequer arranhar uma estrutura de poder centenária. Poder de fato, com propriedades, armas, muito dinheiro e uma intrincada rede de parentescos.

Não é de agora.

Coisa antiga, com lastros no trabalho escravo, na arrogância dos poderosos e na estratificação social promovida pela estrutura capitalista que governa o país. Tudo disfarçado em uma série de mentiras deslavadas e incrustadas como se fossem verdade: “racismo aqui não existe”, “vivemos uma democracia plena” e coisas do gênero. 
 
Não há voto que desmonte essa fábrica de miséria, ignorância; racismo e violência, a não ser após um grave período de confronto. A exemplo desse que teve início, ainda que brando, no golpe de Estado de maio de 2016. Mas que se agravou nos tiros contra a caravana de Lula ao Sul do Brasil.
 
Desde a derrubada do governo Dilma, a polarização entre os campos das esquerdas e do fascismo tem-se revelado mais intensa. Vivemos uma sociedade dividida. E nessa divisão não há meio termo. Nunca existiu uma terceira via. Temos, adiante, dois cães. Aquele que promove a justiça social e o outro, que guarda os interesses das classes dominantes. Aquele que melhor alimentarmos terminará por devorar o oponente.
 
Até outubro. Ainda faltam seis meses.
 
A conferir.
 
Gilberto de Souza é jornalista, editor-chefe do diário Correio do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *