Príncipe Harry enfrentará dureza no Exército

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 11 de novembro de 2004 as 20:52, por: CdB

O príncipe Harry, que consolidou sua reputação de playboy no mês passado após brigar com um fotógrafo do lado de fora de uma boate no centro de Londres, terá de agüentar um período de dureza, sem direito a privilégios, festas ou bebidas, quando começar a servir no Exército britânico em janeiro, disseram fontes oficiais hoje.

Cadete Wales, como será chamado ao entrar na Academia Militar Real Sandhurst no próximo ano, o príncipe deixará para trás sua vida de luxo, tendo, inclusive, de passar a própria roupa.

Harry, de 20 anos, terá de se levantar de madrugada e dormir antes da meia-noite todos os dias, contou à imprensa o responsável pela Sandhurst, general-de-divisão Andrew Ritchie.

Durante suas cinco primeiras semanas de treinamento militar, o caçula da família Real estará proibido de deixar a academia, que fica em Camberley, sul de Londres, chegar perto de um copo que seja de bebida alcoólica, ou usar roupas civis.

– O espírito da Sandhurst é que cada aluno que vem aqui seja tratado da mesma maneira que todos os outros – afirmou o general Ritchie, mostrando aos jornalistas as instalações onde Harry continuará seus estudos.

Após uma vida repleta do luxo e conforto dos ricos palácios reais, na Sandhurst Harry terá apenas uma cama, uma pia e um armário e será responsável por seus três uniformes. Quando chegar à academia, terá de levar sua própria tábua de passar roupa e a graxa para as botas.

A alimentação é reforçada, com quatro refeições diárias, totalizando cerca de 6.000 calorias, para compensar o treinamento pesado que os rapazes recebem.

O general Ritchie disse que ele e seu pessoal estão acostumados aos cadetes que precisam se adaptar a um estilo de vida muito diferente. “Eles levantam muito cedo. Nós estamos acostumados com pessoas que trabalham quatro horas e dormem 20. Aqui, nós revertemos esse ciclo. Para alguns é quase uma luta”, comentou.

Para matar as saudades, os novatos podem levar apenas uma foto da família. No caso do príncipe Harry, até que não será tão ruim, afinal, há várias imagens de sua avó, a rainha Elizabeth II, espalhadas pela instituição.

Harry segue, assim, a longa tradição real militar, já que tanto seu pai, o príncipe Charles, quanto seu avô, príncipe Philip, serviram no Exército britânico. Já seu tio, príncipe Andrew, serviu por 22 anos na Marinha Real, incluindo uma passagem como piloto de helicóptero, em 1982, na guerra das Malvinas.