Procissão da Via Dolorosa, em Jerusalém, é suspensa por segurança

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Oriente Médio, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 10 de abril de 2020 as 16:53, por: CdB

Eles percorreram as Estações da Cruz até a Igreja do Santo Sepulcro, o foco das celebrações da Páscoa cristã, onde, em um serviço assistido por poucos, se fez um pedido de orações para as vítimas do coronavírus mais cedo.

Por Redação, com Reuters – de Jerusalém

Durante uma Sexta-Feira Santa incomum em Jerusalém, um grupo de frades franciscanos, alguns com máscaras, lembrou a crucificação e a ressurreição de Jesus ao longo de uma Via Dolorosa interditada e sem a presença de fiéis.

Um padre cumpre o caminho de Jesus, a caminho do calvário, com as ruas vazias
Um padre cumpre o caminho de Jesus, a caminho do calvário, com as ruas vazias

Eles percorreram as Estações da Cruz até a Igreja do Santo Sepulcro, o foco das celebrações da Páscoa cristã, onde, em um serviço assistido por poucos, se fez um pedido de orações para as vítimas do coronavírus mais cedo. A Covid-19 já matou quase 100 mil pessoas em todo o mundo. Em Israel, a doença infectou mais de 10 mil pessoas e matou 92, e nos territórios palestinos ocorreram 266 casos e duas mortes.

– Estamos celebrando a Sexta-Feira Santa, a lembrança da morte de Jesus, em circunstâncias muito difíceis. Então é importante de certa maneira, neste lugar, onde isto aconteceu que possamos… estar unidos nos corações e nas orações por todos aqueles que estão sofrendo e morrendo – disse o administrador apostólico latino da Terra Santa, arcebispo Pierbattista Pizzaballa, diante da igreja.

Cânticos e preces

Segurando uma máscara e flanqueado por clérigos, Pizzaballa falou à agência inglesa de notícias Reuters antes de realizar um serviço restrito na antiga igreja de arenito, reverenciada por cristão de todo o mundo como o local das horas finais de Jesus.

Pouco depois, o som de cânticos e preces emergiu de uma janela no alto da parede do edifício.

A Páscoa é o festival mais importante do calendário cristão. Neste ano, os católicos o comemoram em 12 de abril, e a Igreja Ortodoxa Grega uma semana antes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *