Procon orienta comércio sobre medidas de prevenção na abertura parcial

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 26 de junho de 2020 as 13:27, por: CdB

Os esforços para evitar aglomerações e conter a pandemia continuam sendo feitos em vários locais. Os fiscais constataram que grande maioria das medidas estavam sendo seguidas.

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro

Seguindo os protocolos estabelecidos pelo Governo do Estado e pela prefeitura de Nova Iguaçu para a retomada das atividades econômicas mantendo-se os cuidados para a prevenção da pandemia da covid-19, o Procon-RJ, autarquia vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, realizou uma operação de orientação na Baixada Fluminense na quinta-feira. Dez estabelecimentos de Nova Iguaçu receberam a equipe de fiscalização que orientou sobre as medidas obrigatórias para a reabertura das lojas ao público.

Os esforços para evitar aglomerações e conter a pandemia continuam sendo feitos em vários locais
Os esforços para evitar aglomerações e conter a pandemia continuam sendo feitos em vários locais

Para manter a segurança de funcionários e consumidores nas atividades comerciais retomadas com a flexibilização uma série de procedimentos foram estabelecidos pelo Decreto Municipal 11965/2020 da prefeitura de Nova Iguaçu: comunicação do limite máximo de pessoas dentro da loja; estabelecimento de rotas de fluxo de entrada e saída; demarcação de distanciamento nas filas; uso de EPIs pelos funcionários e de máscaras pelos clientes; fixação de cartazes com orientações sobre medidas de proteção e procedimentos de higiene; disponibilização de álcool em gel e implementação de barreiras físicas entre os funcionários e o público.

Os problemas mais recorrentes foram a falta de sinalização de entrada e saída das lojas para controle do fluxo de pessoas e informações expressas sobre a quantidade máxima de clientes que poderiam entrar na loja ao mesmo tempo.

As lojas Ponto Frio, Prolar, Di Santini, Vivo, Baggagio e Tele Rio apresentaram problemas com a sinalização. Além delas, as Casas Bahia e Destak também não indicavam o limite máximo de ocupação e a Humanitarian não sinalizava a entrada e a saída.  Apenas a Baggagio, Destak e Street Shoes tinham problemas com demarcações de distanciamento nas filas. A Vivo não exibia cartazes orientando o uso de máscaras pelos clientes. Todos os problemas encontrados foram corrigidos imediatamente pelos lojistas e as lojas de calçados foram orientadas sobre a proibição de experimentar os produtos.

Aglomerações

Os esforços para evitar aglomerações e conter a pandemia continuam sendo feitos em vários locais. Os fiscais constataram que grande maioria das medidas estavam sendo seguidas.

Desde o início da reabertura do comércio varejista esta é a segunda ação de cunho orientador da autarquia, a primeira foi em Shoppings Centers na semana passada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code