Procon se reúne com CDL Rio visando a Black Friday

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 14 de novembro de 2019 as 13:44, por: CdB

O objetivo foi orientar sobre as boas práticas na Black Friday, coibindo ofertas do tipo “Black Fraude”.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

Representantes dos departamentos jurídico, de fiscalização e de atendimento do Procon Estadual do Rio de Janeiro se reuniram com o Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL Rio).

Entre as dicas elaboradas pelo Procon-RJ está o fato de que os estabelecimentos não devem fazer falsas promoções
Entre as dicas elaboradas pelo Procon-RJ está o fato de que os estabelecimentos não devem fazer falsas promoções

O objetivo foi orientar sobre as boas práticas na Black Friday, coibindo ofertas do tipo “Black Fraude”. Ao instruir os fornecedores, é realizado um trabalho de prevenção, a fim de que os consumidores não sejam lesados e haja menos conflitos consumeristas.

A autarquia preparou um manual com informações aos fornecedores contendo dicas do que deve e não ser feito principalmente neste período em que as ofertas são mais agressivas.

O CDL Rio se comprometeu a transmitir as orientações aos seus associados e irá disponibilizar o manual de boas práticas em seu site. O Clube de Dirigentes Lojistas do Rio possui mais de 12 mil associados, que atuam em mais de 30 mil pontos de vendas.

Presentes na reunião, representando a CDL Rio, estavam seu Gerente Administrativo, Jorge Carlos Pereira, e seu Superintendente Administrativo, Abraão Flanzboym. Eles também se comprometeram em repassar a cartilha ao Sindicato dos Lojistas do comércio do Município do Rio de Janeiro (Sindilojas-Rio), que também apoiará a divulgação do material de cunho orientador feito pela autarquia.

Consumidores

Entre as dicas elaboradas pelo Procon-RJ está o fato de que os estabelecimentos não devem fazer falsas promoções simulando descontos ou maquiando o preço para que o produto pareça mais barato. É dever do fornecedor o efetivo cumprimento da oferta.

No caso de vendas online, os sites devem possuir informações que possibilitem o contato e a sua localização pelos consumidores. Além disso, o prazo de sete dias para devolução de produto comprado fora de estabelecimento comercial, o chamado Direito de Arrependimento, deve sempre ser respeitado pelo fornecedor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *