Programa Mais Leitura inaugura loja no Centro do Rio

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 5 de novembro de 2019 as 13:59, por: CdB

Com uma vasta oferta de livros novos, o leitor pode adquirir obras de seu gênero literário preferido a preços populares.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

O Programa Mais Leitura inaugurou loja no Centro do Rio de Janeiro, o edifício Menezes Côrtes. Com uma vasta oferta de livros novos, o leitor pode adquirir obras de seu gênero literário preferido a preços populares, que vão de R$ 2,00 a R$ 9,00, motivo pelo qual o slogan do programa é: “ler é o maior barato!”

O Programa Mais Leitura inaugurou loja no coração do Centro da cidade
O Programa Mais Leitura inaugurou loja no coração do Centro da cidade

O edifício-garagem foi escolhido por ter uma localização privilegiada, por onde passam cerca de 50 mil pessoas por dia. Na sobreloja, está o O Mais Leitura, de portas abertas para receber crianças, adultos e idosos.

O Programa Mais Leitura, mais do que vender livros, tem por objetivo promover a cidadania. Criado pela Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro, com a premissa de democratizar o acesso à leitura, o programa já beneficiou mais de 1 milhão de cidadãos fluminenses com literatura de qualidade.

Dentro de um livro a gente encontra mais que histórias, encontra cidadania.

Cultura

No Dia Nacional da Cultura, comemorado nesta terça-feira, a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa relembra as ações que, desde o início do ano, vêm mudando o perfil da pasta. Entre eles, projetos via lei de incentivo, como o Carnaval carioca com R$8,5 milhões para a folia de rua  (Via Light) e R$ 189 mil no Desfile do Monobloco (Via Ambev),  e o sofisticado espetáculo “Ovo”,  do Cirque Du Soleil, com o patrocínio da TIM, no valor de R$ 2 milhões que, como contrapartida social,  levou cinco mil crianças de escolas da rede pública e de obras sociais para assistirem à apresentação.

Aliás, a participação das crianças e adolescentes é uma das prioridades da gestão. Somente na Bienal do Livro, realizada entre agosto e setembro deste ano, estiveram presentes no evento 40 mil estudantes da rede pública. Cada um teve direito a um voucher de R$ 50 para adquirir o livro de sua preferência. O recorde de crianças que foram ao evento, levadas pelo Governo do Estado, até agora, tinha sido de 11 mil estudantes.  Cinco mil ingressos também foram cedidos para professores do estado.

Já o Programa Juntos pela Leitura, da Superintendência de Leitura e Conhecimento, engloba ações como a Libertação de Livros, com doações de livros num local pré-determinado, paralelamente à contação de histórias e performances.  Além disso, em parceria com a sociedade civil e o Governo, a secretaria inaugurou espaços de leitura, que têm administração de terceiros. O compromisso da secretaria, no caso, é a doação de um acervo mínimo, de 100 a 200 livros, e a orientação para ações de incentivo à leitura. Nesse esquema, a SECEC e o RioSolidário inauguraram uma minibiblioteca no Morro de São João e três outras em unidades do Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas).

FLIP 2019

A secretaria esteve presente na Festa Literária de Paraty (Flip), de 12 a 14 de julho, com um espaço próprio, em parceria com a Prefeitura da cidade, a Casa da Literatura. Como resultado de uma chamada pública, com inscrições para autores, editores, artistas e demais envolvidos no universo do livro, foram produzidas 52 horas de programação. Houve 45 lançamentos e relançamentos de livros, seis apresentações musicais, cinco saraus, várias intervenções artísticas e o Fórum Euclides da Cunha, uma parceria da Funarj, UFRJ e UERJ.

A Tecnologia, Inovação e Economia Criativa ainda têm um importante espaço na Secretaria Estadual de Cultura. Um exemplo foi a Game XP, maior gamepark do mundo que, através da nova Lei de Incentivo à Cultura, arrecadou R$ 4,7 milhões via Oi e R$ 750 mil pela Ambev. Um estudo da Fundação Getúlio Vargas apontou que foram gerados 10 mil empregos com o evento, um impacto econômico para a cidade de R$ 82,3 milhões.

Em Vigário Geral foi inaugurado o AfroGames, primeiro centro de formação e treinamento em jogos eletrônicos localizado numa comunidade, iniciativa inédita no mundo. Com o patrocínio de R$ 500 mil pela Oi, via Lei de Incentivo à Cultura, a escola vai qualificar 100 alunos com cursos de programação para games, produção para música de jogos eletrônicos e aulas de inglês.

O Festival Multiplicidade, com patrocínio de R$ 550 mil via Oi, une imagem e música e em 2019, comemorou 15 anos com uma programação só de artistas nacionais. Em sua trajetória, o Multiplicidade reuniu 800 artistas de 25 países, público presencial de mais de 120 mil pessoas e virtual de 12 milhões.

O ArtRio 2019, parte integrante do calendário oficial de eventos da cidade do Rio de Janeiro, em sua nona edição, recebeu o patrocínio de R$ 330 mil via Osklen. Grupos de colecionadores e curadores brasileiros e internacionais estiveram no evento, que contou com a participação de 80 galerias de arte e firmou-se como uma grande plataforma de arte.

Cinema

Na área do audiovisual, depois de oito anos fechado, voltou a funcionar o escritório da Rio Office Film Commission, para facilitar a logística de filmagens e gravações em território fluminense e promover o estado, internacionalmente, como um cenário privilegiado para filmagens, fomentando a indústria do audiovisual.

Mostra de Cinema Favela Criativa, a Assessoria de Cultura e Sociedade promoveu a estreia, dia 25 de junho, no Cine Odeon, da Mostra de Cinema Favela Criativa, com a exibição de produtos audiovisuais resultantes de editais de chamadas públicas fomentadas pelo Programa Territórios Culturais/ Favela Criativa. Além do conteúdo exibido na estreia (três curtas, um entrevista e duas webséries), mais 14 filmes entraram em cartaz em salas, cinemas, cineclubes, centro culturais e praças de 16 municípios das 10 regiões do Estado, durante o mês de julho.

Ações do Museu da Imagem e do Som (MIS) nas sedes da Lapa e Praça XV, Documenta-se Cineclube, relançamento de um espaço que funciona como cineclube, com exibição gratuita de pelos menos um filme por mês, no auditório da Praça XV.

Espaços culturais

Espaços culturais também contam com o apoio da Secretaria. O Theatro Municipal, uma das mais importantes casas de espetáculos da América Latina, manteve sua programação normalizada. O patrocínio da Petrobras no valor de R$ 3 milhões, permitiu a realização de oito espetáculos até o fim de 2020.

Ações do Museu da Imagem e do Som (MIS) nas sedes da Lapa e Praça XV, Documenta-se Cineclube, relançamento de um espaço que funciona como cineclube, com exibição gratuita de pelos menos um filme por mês, no auditório da Praça XV.

O Programa RJ Criativo está em franca expansão. Destinado a dar suporte a empreendedores, atua na formação e difunde produtos e serviços. A atividade de capacitação, chamada de incubação, ajudou a estruturar e colocar no mercado 33 empresas entre 2012 e 2017, que juntas geraram faturamento de R$ 15 milhões durante o período de incubação. No momento, há 14 startups incubadas e um novo edital para seleção de empreendedores será divulgado até o fim do ano.

Além disso, o RJ Criativo organiza caravanas para levar qualificação a cidades do interior e outras mais afastadas da capital. Ano passado, foram 13 caravanas gratuitas, que atingiram mais de 5 mil pessoas. Este ano, as caravanas aportaram em Mangaratiba, Paraíba do Sul, Nova Iguaçu, Itaperuna, Volta Redonda e Duque de Caxias. Também está em curso a implantação do programa Lab.RJ, que prevê a customização, para cada região do Estado do Rio de Janeiro, do conceito e estrutura do RJ Criativo. Até o fim deste ano, o Norte Fluminense e a Baixada Fluminense vão receber duas unidades desse projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *