Projeto parceiro leva cultura à favela da Rocinha 

Arquivado em: Cultura, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 30 de março de 2021 as 09:58, por: CdB

 

No mês que se comemora o Dia Internacional das Mulheres, duas mulheres empoderadas, se uniram num propósito para lá de social. De um lado a famosa diretora teatral e preparadora de elenco, Bia Oliveira. De outro, Alexandra Vidal, CEO fundadora da Editora Livra e escritora de mais de 10 livros lançados. 

Por Redação – do Rio de Janeiro

No mês que se comemora o Dia Internacional das Mulheres, duas mulheres empoderadas, se uniram num propósito para lá de social. De um lado a famosa diretora teatral e preparadora de elenco, Bia Oliveira. De outro, Alexandra Vidal, CEO fundadora da Editora Livra e escritora de mais de 10 livros lançados. 

“Oficina de Criação de Roteiros da Casa de Cultura da Rocinha”

Elas se uniram durante a pandemia e criaram o projeto Oficina de Criação da Casa de Cultura da Rocinha. O espaço é dirigido pelo produtor cultural Coca, que abriu o local para receber as Oficinas.  Alexandra, que escreveu seu segundo Best Seller pela Amazon, Cartas Salgadas, um romance sobre uma jovem enfermeira e um pracinha na Segunda Guerra. Bia, que em 2020 recebeu três indicações internacionais de direção de filme e voltou com dois prêmios na bagagem, não nega o DNA. O que as duas tem em comum? Talento, raça e criatividade. E agora elas põem em prática esse projeto que também atende pelo nome de solidariedade. 

Com as aulas presenciais suspensas por conta da Pandemia, Bia pensou em como repor as aulas de seus alunos da Oficina de Criação de Roteiros da Casa de Cultura da Rocinha. Ela se reuniu com Alexandra e as duas criaram o projeto de aulas online, que consiste em desenvolver nos alunos a prática de escrita livre e a criação de roteiros. Os melhores textos produzidos por eles irá gerar o Coletânea de Escritos Criativos da Rocinha, que será editado em parceria com a Editora Livra. “Mas as aulas são pagas”, brinca a diretora, que esclarece que se não fosse por essas aulas, ela mesma estaria enlouquecendo nesse momento de isolamento. O livro de coletânea de textos produzidos pelos alunos da Oficina de Criação de Roteiro da Casa de Cultura da Rocinha será uma obra em parceria com a Editora Livra, que vai ser responsável por editar, diagramar e registrar a obra. 

O ponto da vida

“Sempre me pergunto qual é o ponto da vida que me trouxe até aqui”. É a frase de abertura do espetáculo Conto de Verão dita pelo personagem Angelo, interpretado pelo ator Felipe Simas. A peça, que estreou em 2011, foi dirigido pela própria Bia Oliveira. O ator abriu com a mesma frase a aula inaugural online do curso da diretora, surpreendendo os alunos ao aparecer na tela. 

Histórias para os textos não vão faltar, já que entre os alunos, tem um barbeiro. Imaginem quantas histórias ele deve ouvir na barbearia? Ou mesmo as próprias histórias de vida de quem vive na comunidade? Uma das alunas e atriz do Coletivo Biarte, Samara Trindade, venceu em Nova York, na categoria  Minuto Experimental, com o filme “Penso, Logo Falo. Moradora da Rocinha e aluna da Biarte desde 2015, ela também assina o texto.

As aulas acontecem às quartas-feiras, 17:30, Oficina de Interpretação Artística e 19:20, Oficina de Roteiros.  As aulas são gratuitas para moradores da Rocinha.