‘Pupik – Fuga em 2’ estreia no Rio

Arquivado em: Cultura, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 2 de agosto de 2018 as 14:38, por: CdB

Encenada por uma atriz inglesa e outra israelense, espetáculo aborda questão dos refugiados no mundo

Por Redação – do Rio de Janeiro:

O mundo não tem fronteiras para as atrizes Naomi Silman e Yael Karavan, que juntas encenam o poético Pupik – Fuga em 2 por toda parte e pela primeira vez apresentam o espetáculo sobre refugiados no Rio de Janeiro, mais precisamente no Teatro de Arena da Caixa Cultural, de 3 a 12 de agosto.

O mundo não tem fronteiras para as atrizes Naomi Silman e Yael Karavan, que juntas encenam o poético Pupik – Fuga em 2

Judias – Yael nasceu em Israel de mãe polonesa e pai israelense, de raízes ucranianas, e Naomi nasceu em Londres de família originária da Lituânia, elas ampliam as próprias fronteiras cada vez mais. Ao longo de 20 anos de carreira, fazem teatro sem parar. Integrante do premiado Lume, de Campinas, Naomi se une a Yael para levar à cena uma reflexão sobre os desatinos que abrem e fecham portas aos seres humanos em países desenvolvidos e em desenvolvimento, gente que tenta escapar dos horrores da guerra e transitam atrás de melhores condições de sobrevivência.

– O ponto de partida para a elaboração da peça foi a nossa própria experiência, pois moramos em vários países desde a infância. No momento em que decidimos fazer o trabalho contou muito o fato dos aspectos que vêm acontecendo no mundo todo, com a xenofobia, o ultranacionalismo de certos países, questões que apontam para a separação entre os seres humanos. A peça busca propor uma reflexão sobre a necessidade de conexão e não de fraturar territórios e segmentar as pessoas –destaca Naomi.

Paralelamente, dois workshops compõem a programação especial.  Com uma carreira consolidada de mais de 20 anos de pesquisas em teatro físico e visual, dança e palhaço, as atrizes buscaram fundir as suas linguagens para encontrar uma expressão simples e poética num diálogo direto e íntimo com o público.

Umbigo

Pupik significa ‘umbigo’ em hebraico, mas Naomi e Yael falam vários idiomas, inclusive, brincam com isso ao longo da encenação. Parceiras dentro e fora de cena, as atrizes se conheceram em 1996 em Paris durante aulas na escola internacional de Philippe Gaulier. “Lá conheci também meu marido, o diretor Ricardo Puccetti, do Lume. Temos duas filhas. A experiência foi um divisor de águas para mim”, define Naomi, que é pesquisadora e professora de palhaçaria. Yael tem a compahia The Karavan Ensemble, baseada na Inglaterra, e inclui em seu trabalho de atriz elementos do butoh.

A dramaturgia de Pupik – Fuga em 2 é assinada pelas duas intérpretes. Estreou em 2015 em Campinas – itinerou por cidades de São Paulo e Pernambuco, além de ter sido apresentada em Portugal (Teatro Ibérico), Israel (Teatro Tmuna, em Tel Aviv) e Inglaterra (em Londres, Lancing e Worthing).

Em cena, Yael e Naomi contam a história do encontro e da amizade entre duas mulheres com trajetórias similares. As personagens são descendentes de refugiados e imigrantes, que vivem uma vida fragmentada, composta de identidades, culturas e línguas diversas. No meio de um cenário global crescente de conflitos, violência e injustiças sociais, onde as pessoas são segregadas por questões de religião, nação, raça ou etnia, Pupik busca desenterrar o que nos liga, apesar das diferenças.

As platéias ficam uma de frente à outra e Pupik – Fuga em 2 se passa no palco central. “Ao estar frente a frente, o público se olha assim como nós duas, que vestimos figurinos iguais, reforçando a ideia de que todos se espelham. É fundamental posicionar o espectador dentro da temática da discussão da identidade e preconceito”, define Naomi.

Yael Karavan nasceu em Israel, filha de mãe polonesa e pai israelense, com origens ucranianas. Com 3 anos mudou-se para Florença (Itália) e com 6 anos sua família mudou-se para Paris  (França), onde viveu até os 12 anos, retornando depois para Israel. Aos 20 anos deixou Israel novamente para estudar teatro e dança em Nova York, Amsterdã, França e depois mudou-se para a Inglaterra. Trabalhou com companhias teatrais russas e japonesas e vem trabalhando com freqüencia no Brasil desde 1999. Fala cinco idiomas.

Naomi Silman nasceu em Londres, de família judia originária da lituânia. Se mudou para Israel aos 9 anos e viveu lá por 5 anos até retornar para sua terra natal. Aos 17 anos voltou para Israel onde presenciou sua segunda Guerra. Aos 20 anos viajou para Paris onde começou a ter aulas de teatro. Estudou Artes Cênicas no Goldsmmiths College. Universidade de Londres e continuou trabalhando com importantes nomes do teatro físico, mascara e palhaço na França e Inglaterra. Em 1997 imigrou para o Brasil e se integrou à premiada companhia LUME Teatro. Fala cinco idiomas.

Programação Especial

As atrizes também realizarão dois workshops no espaço, nos dias 4, 11 e 12 agosto, abertos ao público em geral.

Demonstração Técnica: Não Tem Flor Quadrada/ 04 de agosto às 14h – entrada franca/ Reserva de lugares através do site www.periplo.com.br

Workshop: As Histórias Secretas dos Objetos: origem, memória e identidade 11 e 12 de agosto (sábado e domingo)/Inscrições de 1 a 4 de agosto através do site www.periplo.com.br./Divulgação dos selecionados 5 de agosto.

Todas as atividades acontecerão no Teatro de Arena da Caixa Cultural.

Ficha técnica

Concepção, atuação e roteiro: Naomi Silman e Yael Karavan // Assessoria Artística: Ricardo Pucetti // Trilha Sonora Original: Greg Slivar // Figurino: Sandra Pestana e Akshy Marayen// Desenho de luz e coordenação Técnica: Francisco Barganian // Técnicos de montagem / operação de som e luz: Eduardo Albergaria e Daniel Salvi // Design gráfico e fotos: Arthur Amaral // Registro Audiovisual: Alessandro Poeta Soave // Produção: Périplo Produções // Realizaçao: Lume Teatro e Anoné Producoes Artísticas

Serviço:

Estreia: 3 de agosto, as 19h

Temporada:

3 a 5 de agosto (sex a dom) às 19h

9 a 12 de agosto (quinta a domingo) às 19h

Ingresso: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia)

Duração: 1h20.

Class Etária: 14 anos

Local:  Caixa Cultural Rio de Janeiro

Endereço:  Avenida Almirante Barroso, 25/ Centro

Telefone:  21 3980-3815

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *