Putin e Merkel concordam em importância de manter acordo com Irã

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 11 de maio de 2018 as 14:06, por: CdB

Putin e Merkel também trataram sobre o conflito na Síria e o conteúdo da reunião que terão no próximo dia 18 na cidade russa de Sochi

Por Redação, com EFE – de Moscou/Berlim:

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, concordaram nesta sexta-feira com a importância de manter o acordo nuclear com o Irã, depois que os Estados Unidos decidiram abandonar o tratado e impor novas sanções ao regime de Teerã.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel

Em uma conversa por telefone que tiveram por iniciativa de Berlim; os dois líderes “frisaram a importância crucial de conservar o JCPOA (como é conhecido o acordo nuclear na sigla em inglês) para a segurança internacional e regional”, segundo comunicado divulgado pelo Kremlin.

Putin e Merkel também trataram sobre o conflito na Síria e o conteúdo da reunião que terão no próximo dia 18 na cidade russa de Sochi.

Ministro de Defesa israelense

O ministro de Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, pediu nesta sexta-feira ao presidente sírio, Bashar Al Assad; que “se desfaça” do Irã em seu país, após a escalada militar de quinta no norte da Síria; informou o jornal Times of Israel.

– Se desfaça dos iranianos. Se desfaça do Qasem Soleimani (chefe das Forças Quds) e das Forças Quds (unidade de elite dos Guardiães da Revolução do Irã). Não ajudam, só danificam – disse em um percurso pelas populações do norte de Israel.

O Irã, junto à Rússia, deu apoio ao regime de Damasco no conflito interno do país desde 2011; e o Governo israelense aumentou suas advertências sobre a consolidação da influência iraniana perto do seu território; à medida que as forças governamentais foram ganhando terreno.

Ontem, o Irã e Israel protagonizaram uma escalada militar quando o Exército israelense lançou uma operação de grande envergadura contra alvos iranianos na Síria; em resposta ao lançamento de mísseis rumo às Colinas do Golã, do qual responsabilizou o Irã.

O Ministério de Relações Exteriores iraniano condenou os bombardeios; que qualificou de “um ato de agressão” baseado em pretextos “sem fundamento”; e acusou Israel e os EUA de cometer estes ataques para “compensar as derrotas sofridas pelos mesmos terroristas que eles criaram e inclinar a balança a seu favor”.

O Exército israelense mostrou hoje imagens aéreas de complexos logísticos e militares iranianos; que bombardeou ontem nas imediações de Damasco; e que assegura são locais no país vizinho da Força Quds.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, advertiu ao Irã; que trespassou uma “linha vermelha”; e que não permitirá que “se entrincheire militarmente na Síria”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *